18 de dez de 2016

Pensamentos, Imaginação e Vontade.

Os cientistas já desenvolveram instrumentos capazes de captar e medir as ultra-sensíveis ondas emitidas pelo pensamento. No estado Theta, essa força chega a medir 100 mil eletrovolts. Certamente, todo esse poder de nada vale quando o homem não é capaz de sustentá-lo pela concentração em um só ponto.

As ondas do pensamento são capaz de atravessar o espaço infinito e chegar ao objeto de nossa concentração. O pensamento, para chegar ao mais alto grau de concentração, deve estar sustentado pela imaginação e pela vontade.
O homem é exatamente aquilo que criou para si mesmo. Cada um de nós tem, vive e pensa conforme as atitudes mentais edificadas no passado. Nós somos o fruto de nosso fracasso ou sucesso, não importando em qual campo de atuação venhamos a agir.

O pensamento deve ser claro e lúcido, pois aqueles que desconhecem a força do pensamento são as piores vítimas, já que são vitimas de si mesmos. Combater a si mesmo é a mais difícil das tarefas. Diariamente devemos aprofundar a meditação, a fim de descobrirmos a verdade sobre nossa própria natureza. Caso contrário, viveremos iludidos sobre o que realmente somos.


O pensamento e a imaginação desenvolvidos fazem nascer nas entranhas do homem um princípio superior e inexistente nas pessoas comuns - a Vontade, O alimento da Vontade é o pensamento unido à imaginação. A Vontade surge na medida que o homem domina sua mente e desabrocha sua imaginação. Através da Vontade é possível se sobrepor à natureza instintiva; é possível descortinar os segredos da Alma; é possível reger os fenômenos da natureza.

A Vontade é a força que o homem necessita para tomar o céu por assalto. Vontade e desejo - duas forças antagônicas. Diz um sábio que a essência da sabedoria é a Vontade. O desejo transforma os sentidos em servos, enquanto a Vontade faz dos sentidos instrumentos do Íntimo. 

O sucesso na concentração e na meditação é proporcional à força de vontade. A vontade aumenta na medida que o homem aprende a dominar seus impulsos instintivos a automáticos, O refrear da língua, da gula, dos sentimentos mecânicos e, numa escala mais elevada, dos pensamentos inconscientes, gerados mecanicamente, é que desenvolvem a Vontade. Onde nada disso existe, a Vontade também não pode existir.


A auto-ilusão é um dos maiores inimigos do homem. Quando acreditamos ser o que não somos, quando cultivamos pensamentos deformados e irreais, acabamos também por nos deformar completamente, pois o sistema nervoso não sabe distinguir a diferença entre uma experiência real e ilusória.

O pensamento é como a semente: uma vez que a jogamos no solo mental, por força da manifestação de vida ela desejará brotar, crescer, florescer e frutificar. A árvore proveniente dessa semente nada mais gerará senão os frutos do pensamento original, ou seja, pelo fruto podereis conhecer a árvore. Pelas pequenas atitudes de um homem podereis conhecer seus grandes pensamentos.

Podemos comparar, também, o pensamento a um imã: atrairá vibrações afins às emitidas. As forças negativas atraídas pelo pensamento denso ficarão aderidas ao corpo mental e ao corpo de emoções. Infeliz do homem que carrega o peso de seus pensamentos! Com o tempo, não prestará para mais nada, a não ser para fertilizar a terra.

Já a companhia de um homem santo e de pessoas positivas, o cultivo dos pensamentos nobres, puros, elevados, o hábito de procurar as emoções harmoniosas, serenas, belas e, enfim, o esforço do homem em desenvolver o gosto por tudo que o aproxime de impressões que despertam em si a aspiração religiosa ou divina, são de incontestável ajuda ao progresso na meditação e conseqüente evolução.

Na medida que nos esforçamos para desenvolver a concentração e a meditação, muitas portas subconscientes vão se abrindo. Dai, nosso trabalho se assemelhará ao trabalho de uma pessoa que, depois de muitos e muitos anos, resolveu fazer uma limpeza geral em sua casa. Começará a encontrar elementos há muito esquecidos e outros, completamente desconhecidos. Todos os pensamentos negativos, cultivados no passado, mesmo que eles tenham sido alimentados por períodos de poucas semanas ou meses, levarão agora dez vezes mais tempo para serem erradicados completamente.

Em especial, o pensamento pornográfico e de luxúria se assemelham muito à erva daninha da pior qualidade. Quando inserido na mente pela primeira vez, é insignificante e pouca importância acabamos por dar a ele, mesmo porque, acreditamos estar fazendo nada mais do que qualquer outra pessoa faria. Depois de meses ou anos, se resolvermos limpar a casa, ficaremos impressionados pela extensão do estrago causado por essa erva daninha: além de se expandir por toda parte, matou completamente as poucas flores de pureza que ainda existiam em nosso jardim.

Para que a idéia se fixe e se manifeste, plasmada nesse mundo de três dimensões, devemos alimentá-la constantemente com nosso pensamento e emoção. Além disso, a ação e a atividade devem acompanhá-la durante todo o tempo, até que materializemos nossos objetivos. “O ser humano imagina-se como pensa, pensa como sente e sente como deseja”. Desta regra, deduz-se que, para pensar bem, devemos ter bons desejos e bons sentimentos.

A imaginação sustenta o pensamento concentrado. Imaginar é criar nos mundos superiores. No entanto, não podemos confundir imaginação criadora com devaneios ou elucubrações. A imaginação é a vontade do Intimo atuando através do pensamento. A elucubração ou o devaneio é o pensamento disperso e ilusório das diferentes manifestações egóicas (agregados psíquicos).

A faculdade da imaginação reside no hemisfério direito do cérebro humano. Quando criança, tal faculdade está em grande atividade, mas com a formação da personalidade e do raciocínio lógico, a imaginação criadora é deslocada para o subconsciente, e o homem destrói então a ponte que ainda o ligava a Deus. Todo gênio, mago, iluminado, profeta, etc., possuiu uma imaginação aguda e profunda. O Universo é a imaginação de Deus. Enquanto a razão só pode conjecturar acerca de Deus, a imaginação nos faz sentir a Sua presença. A imaginação nos aproxima da Perfeição e da Unidade.

“Deus é o Espírito, mas minha imaginação o faz carne. Deus é a realidade, mas minha imaginação O transforma em atualidade. Deus é o Príncipe Divino e minha imaginação é o príncipe da criação. Deus é a Vontade e minha imaginação é a natureza criadora.”

O pensamento e a imaginação desenvolvidos fazem nascer nas entranhas do homem um princípio superior e inexistente nas pessoas comuns - a Vontade, O alimento da Vontade é o pensamento unido à imaginação. A Vontade surge na medida que o homem domina sua mente e desabrocha sua imaginação. Através da Vontade é possível se sobrepor à natureza instintiva; é possível descortinar os segredos da Alma; é possível reger os fenômenos da natureza.


A Vontade é a força que o homem necessita para tomar o céu por assalto. Vontade e desejo - duas forças antagônicas. Diz um sábio que a essência da sabedoria é a Vontade. O desejo transforma os sentidos em servos, enquanto a Vontade faz dos sentidos instrumentos do Íntimo.

O sucesso na concentração e na meditação é proporcional à força de vontade. A vontade aumenta na medida que o homem aprende a dominar seus impulsos instintivos a automáticos, O refrear da língua, da gula, dos sentimentos mecânicos e, numa escala mais elevada, dos pensamentos inconscientes, gerados mecanicamente, é que desenvolvem a Vontade. Onde nada disso existe, a Vontade também não pode existir.


Se você ainda não havia se dado conta da importância da Vontade como principio superior aos pensamentos e às emoções, ou mesmo se desconhecia existência de algo superior à mente, sempre é tempo de conscientizar-se da necessidade de gerar em si mesmo tal principio. Daremos a seguir algumas indicações que, no todo, ajudarão a fortalecer a Vontade, até que, um dia, ela se cristalize como força motriz do trabalho de auto-conhecimento.

A Vontade é engendrada a partir de pequenos detalhes:

1. Primeiro você deve se dar conta de suas reações automáticas. Logicamente comece observando as mais evidentes. Percebendo sua mecanicidade no agir, tente antecipar-se ás situações já flagradas anteriormente e elimine as reações mecanizadas e inconscientes. Você verá que não é tão simples assim como parece. Exige esforço e persistência, mesmo porque cada reação inconsciente, quando detectada, deve ser dissecada pela navalha da meditação psicológica. 

2. Auto-observe-se ao falar. Perceba quantas palavras inúteis você pronuncia diariamente. O Verbo é sagrado, e o seu mau uso, acarreta um karma muito pesado. Observe as gírias, os palavrões, as colocações satíricas, as frases com conotações sarcásticas e luxuriosas. Cada palavra grosseira ou frase sem significado gera um campo vibracional denso, que dificultará ainda mais seu trabalho de meditação. Suprima, aos poucos, essas palavras. Fale quando necessário e perceberá a força de suas palavras. A fornicação da mente é o Verbo distorcido. O Verbo das pessoas que fornicam mentalmente não tem valor nem força. Morre ao ser emitido. Com essa prática você perceberá novas correntes de força atravessando seu corpo.

3. Aprenda a criar resistência a todos os impulsos naturais e instintivos. Lembre-se: a meditação e o trabalho de auto-realização espiritual é uma luta contra a natureza interior e exterior ao homem. Não estamos dizendo para você deixar de fazer tudo que fazia antes, mas sim, para perceber o porquê de tudo que fazia. Faça consciência de seus atos inconscientes. Procure sempre impor a vontade incipiente sobre os impulsos; você verá que, aos poucos, ela começará a se cristalizar como um principio motriz.

4. Trace para si mesmo metas a serem realizadas diariamente. Objetivos que, normalmente, você não gostava de fazer, seja pela preguiça ou outra desculpa qualquer. Se não gosta de caminhar, caminhe diariamente. Se não gosta de praticar esportes, entre numa aula de natação, ande de bicicleta ou, simplesmente, inicie uma série de corridas diárias. Se lhe desagrada acordar cedo para executar tarefas, faça-o a partir de agora. Se tem medo de falar em público, procure situações onde você terá que se expor e se exponha de verdade. Em poucas palavras, deve existir um sacrifício voluntário de sua parte. Você ficará impressionado quando perceber, com o decorrer do tempo, que nada mais lhe afetará. Todas as coisas que antes eram chatas e dolorosas, começam a ter um significado diferente. Sua Vontade está se sobrepondo às manhas, às fraquezas, aos instintos, ao medo e até mesmo à dor.

Importante: há um perigo em todo este processo. Cuidado com a repressão. Estamos falando em sacrifícios voluntários e compreensão. Incentivamos a autodisciplina. Partimos do pressuposto que cada estudante, após este curso, dissecará diariamente seus pensamentos através da meditação. Não adianta você impor sua vontade sobre algo sem saber por que e sem perceber a extensão dessa força. Quando nos referimos a vencer os desejos e impulsos instintivos, é para que você perceba, pela prática da meditação, o fator psicológico escondido atrás de cada atitude externalizada.

Por exemplo: se uma pessoa está lutando para dominar sua língua, ela deve, através das práticas de meditação, compreender o que a levou a fazer isso. Contra o que, exatamente, ela está lutando, qual o processo psicológico inconsciente que está sendo desvelado e as conseqüências imediatas e futuras desse descortinar de ilusões mecânicas. Caso a meditação e a compreensão não façam parte constante desse processo, o estudante acarretará apenas uma coisa: a repressão. A repressão é o uso da força sem a compreensão. Onde não há compreensão, não há sabedoria.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquise no Site por Assunto

AS 10 MAIS DO MÊS