13 de ago de 2013

3ª Visão Parte I

Uma Abordagem Científica
.
Quando fazemos uma rápida busca pela internet usando o termo “3ª visão”, encontramos a imagem clássica de uma pessoa com um olho aberto entre as sobrancelhas. Geralmente, as pessoas tem a tendência a pensar que a terceira visão tem uma ligação direta com o sobrenatural ou seria um dom inato de algumas pessoas.
Visando quebrar este mito e trazer a todos uma explicação científica para esta habilidade que todo ser humano pode desenvolver, o pesquisador nas áreas de desenvolvimento mental, consciencial e físico Alan Oliveira e o profissional em Educação Física e graduando em Fisioterapia Fernando F. Gallon, reuniram a prática de um ao conhecimento em anatomia dos olhos de outro, e escreveram este estudo chamado “Fisiologia da 3ª Visão”
.
Alan Oliveira explica um pouco mais sobre este trabalho surpreendente e ainda em desenvolvimento.
CP: Como surgiu essa parceria entre vocês dois?
Eu e Fernando nos conhecemos há muito tempo e começamos a conversar para saber como nós poderíamos contribuir para a ciência usando o conhecimento energético. Começamos a procurar como poderíamos entrar para validar cientificamente uma paranormalidade, uma interação, um desenvolvimento. Nós gostaríamos de ensinar as pessoas usando o método científico, ou seja, sempre que você fizer isso obterá tal resultado relativo aos padrões energéticos e as habilidades que nós temos no nosso corpo.
CP: Entre todas as nossas habilidades por que vocês escolheram a 3ª Visão?
Eu sempre tive a 3ª visão bem desenvolvida com os treinamentos que eu utilizei e o Fernando coincidentemente estava trabalhando a anatomia dos olhos para entender melhor como funcionavam as cores, a visão, nossa perspectiva, bem detalhadamente isso.
Decidimos pegar essa primeira habilidade que chamamos de Fisiologia da 3ª visão. Eu com esta habilidade desenvolvida e conseguindo enxergar no escuro, conseguindo enxergar algumas energiad corporais, conseguindo visualizar coisas que a maioria das pessoas não visualiza por falta de treinamento e/ ou direcionamento, a gente resolveu conversar pra ver como era esse processo energético em mim e para reproduzi-lo fisicamente nas pessoas, em um ser humano que ainda não tem essa facilidade, esse desenvolvimento, esse treinamento.
CP: Com esse estudo vocês acabaram com o mito de que algumas pessoas possuem um “dom” especial de enxergar o campo biomagnético dos outros.
Não existe isso. Existe uma base de treinamento que é o nosso objetivo. É justamente explicar, olhar cientificamente. Você enxerga assim, porque desde que você nasceu existe um padrão que a sociedade impôs de conduta social, de vida que te obriga indiretamente a desenvolver determinado tipo de visão apenas. Quando a gente nasce e começa a tomar consciência, conhecimento da vida e de nós como indivíduos, a primeira coisa que escutamos dos nossos pais,  quando vamos brincar no escuro é: “brinca de luz acesa se não você vai se machucar!”. É o primeiro bloqueio que a gente recebe da nossa visão. Porque se a gente ouvisse: “brinca de luz apagada porque você vai conseguir enxergar no escuro” de fato seria um estímulo para esse treinamento. Essa habilidade nada mais é que treinamento, qualquer pessoa que resolva treinar vai desenvolver a 3ª visão.
CP: Vocês conseguiram detectar alguma característica física comum entre as pessoas que conseguem desenvolver com mais facilidade a 3ª visão? Por exemplo, homens, mulheres…
A característica que todos têm que ter é enxergar.
CP: No filme “A Vila” existe uma personagem que é cega, mas consegue ver massas coloridas e com isso ela identifica as pessoas.
Essa habilidade ela conseguiu desenvolver intencionalmente e não inconscientemente. O nosso corpo trabalha de forma natural. Nós temos olhos para enxergar, sendo assim, uma pessoa que enxerga terá muito mais facilidade de atingir e enxergar as frequências, identificar as frequências e desenvolver a 3ª Visão, do que uma pessoa que acabou de ficar cega, mas isso não é uma regra. A pessoa que já nasceu sem enxergar na 3ª dimensão, uma pessoa que já nasceu cega, ela desde pequenininha vai ter que trabalhar os estímulos da 3ª Visão. Ela conseguiria desenvolver mais rapidamente a ativação da 3ª Visão e sua anatomia do que eu ou você. O que se faz extremamente necessário, o padrão físico é a pessoa enxergar. Não tem loura, morena, careca, cabeludo. É simplesmente treinamento.
CP: Mesmo porque as pessoas que nascem cegas são estimuladas a desenvolver outros sentidos e nunca da visão.
É… racionalmente isso seria impossível, quando na verdade é o que mais a gente deveria estimular, porque é uma outra forma de visualização. Tecnicamente nós conseguimos enxergar por causa do reflexo da luz em determinado objeto. A ciência parte do pressuposto que precisa de luz para que a gente consiga enxergar, quando na verdade, no momento em que apagamos a luz de um determinado lugar, nenhuma célula, nada apaga na nossa visão, pelo contrário, acendemos 3 outros milhões de células a mais, ou seja, tudo que a gente estava usando para enxergar com luz, a gente usa para enxergar na escuridão e além disso ativa-se mais células. É extremamente possível enxergarmos no escuro desenvolvendo a visão pra isso, com treinamento. Obviamente não vai ser como se a luz estivesse refletindo em determinado objeto no ambiente, mas é uma outra forma de luminosidade que nós vamos enxergar.
CP: Dentro deste desenvolvimento é possível enxergar outras dimensões?
É possível. Na 3ª dimensão é possível a gente interagir fisicamente e visualmente com outras dimensões. Primeiro visualmente, então nós conseguimos enxergar coisas que outras pessoas não conseguem enxergar, seja uma frequência, seja uma vibração, porque as outras dimensões são nada mais que isso, frequências vibratórias em outro plano dimensional, porém dentro do nosso conhecimento, nós temos que primeiramente realizar o que nós chamamos de transformação genética. Nós temos que treinar, treinar, treinar até que fisicamente os nossos olhos, o nosso corpo, enfim, o que você quer desenvolver, realize a primeira transformação genética, ou seja, os genes que nós temos e que estavam adormecidos, em stand by, tem que ser estimulados para que eles fiquem ativos e esta transformação*. Esta atividade vai realizar uma transformação física. Se você treina seus olhos, se você treina sua 3ª Visão, o primeiro passo que você vai perceber fisicamente para você interagir visualmente em outras dimensões, é a pupila dos olhos na vertical. Este é o primeiro sinal do seu corpo falando que está mudando neste quesito de visualizar outras dimensões, de interagir visualmente com outras dimensões é a pupila dos olhos ficando na vertical. Dentro das nossas pesquisas isso vai permitir que você enxergue o mundo e o universo exatamente como eles são, com todas suas frequência reais e não com as limitações que nós temos hoje. Limitações físicas porque nosso desenvolvimento, nosso ensinamento foi baseado em enxergar tudo redondo porque nós temos essa tendência. É uma força física que influencia na nossa perspectiva do mundo. Por exemplo, se você pega um objeto, com mais ou menos 1 metro de comprimento, triangular, um quadrado e um circular e você se distancia mais ou menos uns 100 metros, você vai conseguir discernir qual é a forma geométrica de cada um. Se você se distanciar mais de 3 Km você vai enxergar apenas um ponto. Existe uma força que tendência a nossa anatomia  ocular a enxergar tudo esférico dependendo da oscilação e da energia que está no local.
*Epigenética: ciência que estuda as modificações na expressão dos genes que são moduladas pelo meio ambiente independente de mutação no DNA.
CP: E as pessoas que enxergam os espíritos?
As pessoas que enxergam um espírito estão identificando uma frequência diferente. Mesmo estando na 3ª dimensão ele está em um plano dimensional diferente do nosso, ele não é mais denso, digamos assim, não é 80% matéria e como o nosso corpo não sabe que aquilo ali é um espírito, ele fica mandando sinais para que o nosso cérebro faça a ligação com o que mais se aproximaria  para representar. Se a pessoa estiver sentindo um anjo ou se ela acha que aquela energia é um anjo, a primeira imagem que o cérebro vai projetar vai ser de um anjo.
Alguns falam que cada ser humano vê o mundo conforme seus olhos. Isso é completamente real porque quando você ainda não vê fisicamente uma frequência, tudo vai depender do que você tem como memória de uma determinada coisa. Se a pessoa sentiu que tem uma entidade espiritual ali ao lado, que ela não conseguiu enxergar, mas que, pelos filmes, ela acha que é ruim, ela vai realizar a projeção de uma imagem de monstro, de um demônio, e assim a gente vem sofrendo as influências e as limitações da nossa visão da sociedade. A gente precisa identificar essas frequências, se acostumar com elas para que a gente consiga ver o que elas realmente são. Isto quando elas são mais plasmadas do que físicas.
CP: Independente dessa caracterização que a gente faz, as pessoas que enxergam os espíritos tem o desenvolvimento da 3ª visão?
Tem a mediunidade já preparada e isso aconteceu desde quando elas eram crianças. Com coisas básicas elas foram desenvolvendo inconscientemente essa habilidade.
CP: Uma coisa é você perceber as frequências, outra coisa é você formar uma imagem dessa frequência. Você pode sentir as frequências, mas para enxergar tem que ter a 3ª Visão desenvolvida.
Sim, bem desenvolvida quando é plasmado, ao invés de físico.
Os exercícios práticos para o desenvolvimento da 3ª visão estão na continuação da entrevista com Alan Oliveira que será publicada na próxima semana. 3ª Visão Parte II – O Treinamento.
Acesse aqui o link do estudo ainda em desenvolvimento,  ”Fisiologia da 3ª Visão.
Fernanda Maria de Lima

x

Sugestão do Editor.

AS 10 MAIS DO MÊS