17 de jun de 2016

Vacinas: o Bem ou Mal?

A Máfia dos Medicamentos


Objetivamente falando, o CDC (a Anvisa dos EUA) é um malicioso grupo de frente, que executa anti-ciência charlatã para a indústria das vacinas. Como parte da sua atividade criminosa, ele há muito tempo insistiu que o conservante timerosal (que contém 50% de mercúrio) presente nas vacinas não está ligado ao autismo. Mas documentos secretos de outrora, que foram forçados agora a serem revelados pelo CDC, provam que a agência sabia que o timerosal causa autismo, mas deliberadamente escondeu a evidência do público exatamente da mesma forma como a EPA escondeu a verdade sobre envenenamento por chumbo no abastecimento público de água em Flint, Michigan.


Um fiscal da indústria de vacinas obteve agora os documentos do CDC que mostram os riscos estatisticamente significativos de autismo associados com o conservante da vacina“, relata o site Health Advice, o qual também relata:

Dr. Hooker, um cientista PhD, trabalhou com dois membros do Congresso para elaborar a carta ao CDC que, recentemente, resultou na obtenção de dados há muito tempo esperados do CDC, com significado histórico. De acordo com Hooker, os dados de mais de 400.000 crianças nascidas entre 1991 e 1997, que foram analisados pelo epidemiologista Thomas Verstraeten, MD, do CDC , “comprova inequivocamente que, em 2000, os funcionários do CDC foram informados internamente do risco muito alto de autismo, distúrbio do sono não-orgânico e distúrbio de fala associado à exposição ao Timerosal.
Enquanto a grande mídia – em grande parte financiada por corporações farmacêuticas – continua ridiculamente afirmando que qualquer ligação entre o autismo e as vacinas é uma “teoria da conspiração“, a ligação, na verdade, acaba por ser evidência baseada em fatos.
A história do site Health Advice associa sobretudo:

Quando os resultados do estudo de Verstraeten foi relatado pela primeira fora do CDC em 2005, não havia nenhuma evidência que qualquer pessoa, exceto o Dr. Verstraeten de dentro do CDC, sabia do alto risco de 7,6 vezes relativo ao autismo devido a exposição ao timerosal durante a infância. Mas agora, existe uma evidência clara. O resumo recém-adquirido, de 1999, intitulado 

 “Aumento do risco de comprometimento de desenvolvimento neurológico após alta exposição ao timerosal contido na vacina no primeiro mês de vida


 precisa de aprovação de altos funcionários do CDC antes de sua apresentação na conferência Epidemic Intelligence Service (EIS).

O timerosal, o qual tem 50% de mercúrio em peso, foi usado na maioria das vacinas infantis e na vacina RhoGAM para mulheres grávidas antes do início de 2000. O CDC afirma que “não há relação entre o timerosal contido nas vacinas e as taxas de autismo em crianças” mesmo que os dados do próprio banco de dados do CDC Vaccine Safety Datalink (VSD) mostrem um risco muito elevado. Há uma série de registros públicos para apoiar isso, incluindo este Congressional Record de 1º de maio de 2003. A recusa do CDC em reconhecer os riscos do timerosal é exemplificado por um comunicado vazado pela Dra. Marie McCormick, ex-presidente do CDC/NIH – que patrocinou o Immunization Safety Review na IOM. Em relação à vacinação, ela disse em 2001: “…não vamos jamais nos precipitar que ele [o autismo] é um efeito colateral real…” Também digno de nota, a ex-diretora do CDC, a qual compra US$ 4 bilhões em vacinas anualmente, é agora presidente da divisão de vacinas da Merck.

Vacinas contra a gripe dadas às crianças contém mais de 50.000 ppb de mercúrio.

Conforme você lê tudo isso, lembre-se que eu, pessoalmente adquiri e testei as vacinas contra a gripe para o mercúrio em meu laboratório – agora chamado CWC Labs – via instrumentação ICP-MS.

Esses testes revelaram que as vacinas contra a gripe contêm mais de 50.000 ppb de mercúrio – mais de 25.000 vezes o limite de mercúrio presente na água potável da EPA.

Qualquer pessoa que acredita que injetar crianças com mercúrio não tem consequências biológicas ou está delirando ou é cientificamente analfabeto. O mercúrio é um dos elementos mais tóxicos conhecidos pela ciência moderna, e ele provoca danos neurológicos em todas suas formas (acetato de metilo, orgânico, inorgânico e elementar).
Como explicado pelo site Health Advice:

O timerosal derivado do Metilmercúrio presente em vacinas está agora bem estabelecido como uma toxina mitocondrial em células cerebrais humanas.

Existem dezenas de pesquisas científicas e estudos sobre os efeitos adversos do timerosal, incluindo anormalidades gastrointestinais e irregularidades do sistema imunológico.

O timerosal é metabolizado (convertido) no tóxico e “prejudicial” metilmercúrio. E, por sua vez, o prejudicial metilmercúrio é metabolizado (convertido) em um mercúrio mais prejudicial, tóxico a longo prazo e “inorgânico”, que é retido pelo tecido corporal.

O mercúrio “inorgânico” é o produto final do metabolismo do mercúrio. Os grupos sujeitos ao metilmercúrio confirmam que a via metabólica para o mercúrio no corpo humano e animal consiste na redução/conversão do metilmercúrio prejudicial em um mercúrio mais prejudicial e “inorgânico”, o qual é preso ao tecido, e tóxico a longo prazo. Assim, tanto a substância de origem (metilmercúrio) e sua conversão/redução em mercúrio inorgânicos são encontrados.

Com base nos resultados publicados pelo Dr. Paul King, a via metabólica para o mercúrio orgânico envolve a conversão de Etilmercúrio (Timerosal) em “metilmercúrio” e, em seguida a redução adicional de “metilmercúrio” em mercúrio inorgânico.

O CDC sabia o tempo todo que as vacinas cheias de mercúrio foram destruindo as vidas das crianças… e não fez NADA para pará-las!

O resultado de tudo isto é que o CDC conscientemente permitiu que a vida de inúmeras crianças fossem destruídas encobrindo deliberadamente as ligações entre o mercúrio presentes nas vacinas e o autismo.

É por isso que descrevemos corretamente o CDC como uma “organização criminosa”. É uma ativa máfia médica dos tempos modernos envolvida em negligência médica de escala criminosa e que mutila em massa crianças inocentes. O CDC, na verdade, é dirigido por assassinos em massa que fingem ser cientistas.

Isso é parte de um padrão de assassinato médico por agências governamentais, incluindo a EPA (que encobriu o terrível envenenamento por chumbo de crianças negras em Flint), a FDA (que se recusa a remover os mortais medicamentos prescritos do mercado até que um grande número de pessoas já estejam mortas), a USDA (que conspira abertamente com a Monsanto para envenenar nossa comida com transgênicos inseguros) e o CDC.

Isso também faz você se perguntar… o que mais o governo federal está encobrindo que está matando, ferindo ou mutilando as crianças de hoje?

Nota: o artigo é sobre o CDC e cita outras agências americanas, mas no entanto as agências brasileiras, como a Anvisa, estão envolvidas em diversos escândalos. Veja por exemplo o artigo “Gerente-Geral de Toxicologia da ANVISA é Exonerado por Denunciar Irregularidades” .

Participe também da discussão no Fórum Notícias Naturais.



Fonte:

  http://www.noticiasnaturais.com/2016/06/cdc-e-forcado-a-revelar-documentos-que-comprovam-que-o-mercurio-presente-na-vacina-causa-autismo/#ixzz4BqWlhTVH

Compartilhe com seus amigos, imprima, copie o link, envie por e-mail.


Facebook Addthis Amazon AOL Mail Baidu Facebook Messenger Copy Link Email Gmail Google+ LinkedIn Myspace Outlook Print PrintFriendly Pinterest Twitter WhatsApp

Voltar 

x

Pesquise no Site por Assunto

AS 10 MAIS DO MÊS