9 de ago de 2016

Rótulos Integrais




A farsa dos rótulos integrais: descubra o que é realmente integral a começar pelo pão.


Foto: Thinkstock

Quem já segue uma alimentação saudável sabe: os alimentos integrais não devem ficar de fora da dieta. Substituir os alimentos processados pelos equivalentes integrais é uma recomendação praticamente unânime entre os profissionais da área da saúde, pois esse tipo de alimento possibilita melhor aproveitamento dos nutrientes (que são preservados quando o processo de refino não é aplicado).A nutricionista funcional Helouse Odebrecht ressalta que alimentos integrais são mais saudáveis que alimentos refinados. “E, atualmente, não podemos falar de alimentação saudável sem incluir os integrais no cardápio”, diz.


 A nutricionista explica que integrais são alimentos que não passaram pelo processo de refinamento ou industrialização. “Ou seja, é o alimento na sua forma íntegra. Em geral, cereais como arroz, trigo, centeio e aveia, suas farinhas e produtos como pães, bolos e biscoitos. Porém, também podemos apontar alimentos como açúcar, óleo e sal, que, apesar da legislação não classificá-los como integral, também podem ou não passar pelo processo de refinamento”, destaca.

Ainda de acordo com Helouse, para o consumidor, é muito importante entender e receber essa informação, pois nos alimentos não refinados (integrais) permanecem a casca, o farelo, película protetora do grão e, assim, todos os seus nutrientes como vitaminas, minerais, fibras e compostos bioativos. “Estas partes são importantes no desenvolvimento, proteção e nutrição do próprio cereal”, acrescenta.A nutricionista explica que, pela legislação regulamentada pela ANVISA (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária), alimentos como cereais (arroz, aveia, cevada), as farinhas destes cereais (trigo, arroz, aveia) e seus derivados, como pão, macarrão, biscoito e bolos, são encontrados na versão integral e devem conter no rótulo a descrição integral.

Foto: Thinkstock

Mas por que nem todos os produtos são verdadeiramente integrais? “Essa é uma questão de falha na legislação. A resolução 263/2055 da ANVISA regulamenta produtos à base de cereais, amidos e farinhas e, realmente, não estabelece quantias mínimas para alegação de que o produto é integral. Dessa forma, se o produto utiliza qualquer quantidade de farinha integral em sua composição, a rotulagem alegará que há farinha integral em sua formulação, tendo 5% ou 100% de farinha integral”, explica Helouse.Nem todo mundo sabe, mas boa parte dos produtos colocados à venda como integrais não é integral. O que significa que muita gente acaba sendo enganada ao comprar um produto que acredita que trará vantagens à sua saúde.

A resolução 263/2055 da ANVISA regulamenta produtos à base de cereais, amidos e farinhas e, realmente, não estabelece quantias mínimas para alegação de que o produto é integral.Assim, continua a nutricionista, o consumidor que estiver comprando um “pão integral” com 5% de farinha integral e o restante de farinha branca, certamente não estará consumindo pão integral e nem recebendo os benefícios que os produtos integrais oferecem.“No início do ano de 2014, o tribunal de Justiça no Rio de Janeiro estabeleceu um prazo de 180 dias para que os fabricantes de pães informassem em suas embalagens de pães integrais qual o real teor de farinha integral na composição dos produtos. Essa ação civil pública foi movida pela denúncia de consumidores. Com a decisão, as companhias terão que informar se seus produtos são 100%, 10% ou 1% integrais”, destaca Helouse.

Ainda de acordo com a nutricionista, em 2012, também a partir de denúncias, a questão tomou tanta relevância que já tramita, no Congresso Nacional, o projeto de lei 5.081/2013,  que estabelece que, para se intitular integral, o produto terá que apresentar em sua composição mais de 51% de grãos integrais. “Prevê, ainda, que sejam criadas outras duas categorias para rotular os pães: semi-integrais ou com adição de farinha integral (com 15% a 51% desses grãos) e sem as expressões ‘integral’ ou ‘semi-integral’, se o percentual for inferior a 15%.
Foto: Thinkstock

Helouse reforça que alimentos integrais são mais saudáveis que alimentos refinados e que, atualmente, não é possível falar de alimentação saudável sem incluir os integrais no cardápio. “Há vários produtos, uma multiplicidade de marcas, mas o que a gente vê na prática é que, em alguns casos, apesar de se dizer integral, a composição ainda tem mais farinha refinada”, destaca.

Como descobrir se o alimento é realmente integral?

Helouse explica qual é a maneira de saber se os produtos são realmente integrais: é necessário reconhecer se o alimento preponderante da composição é o integral. “E isso é uma tarefa fácil, basta apenas ler a lista de ingredientes do alimento, esta fica próxima à tabela nutricional nas embalagens”, diz.

Diante desta realidade, surge a dúvida: como escolher um alimento integral?

A nutricionista destaca que os ingredientes aparecem em ordem decrescente. “Ou seja, o que tem em maior quantidade é o primeiro na lista. A farinha integral ser a primeira da lista não significa que ela esteja dentro de percentual que a lei exigirá, de 51%, mas pelo menos já indica que há mais dela que da farinha industrializada, o que já é bom”, explica.


Para um produto 100% integral, destaca Helouse, a farinha de trigo branca (descrita nos ingredientes como farinha de trigo rica em ferro e ácido fólico), ou outras farinhas, não aparece em sua composição.

“Grãos como sementes de linhaça, gergelim, pepitas de girassol, quinoa, amaranto, também podem ser componentes dos pães 100% integral”, acrescenta Helouse.

Então agora você já sabe: não acredite em tudo o que ler nos produtos – especialmente no que estiver na parte da frente da embalagem. Muitas vezes, “a propaganda é enganosa”.O que vale mesmo é o que vem escrito atrás do rótulo, ou seja, a lista dos ingredientes. Procure pela farinha integral como primeiro ingrediente da lista – ainda que o produto não seja 100% integral, já é certo que há mais farinha integral do que industrializada.


(Nota importante; o pão feito com farinha integral é naturalmente rico em fibras, além de antioxidantes , vitaminas , minerais e carboidratos complexos . Já que a farinha integral é obtida através de um processo de moagem do grão do trigo realizado em moinhos de pedra  que preservam a combinação natural de suas três  partes : 1°farelo (rico em fibras), 2° endosperma (Fornece energia ,através dos carboidratos e proteínas ) e 3° gérmen (rico em nutrientes minerais e vitaminas) . Portanto , o farelo ou fibra  é só a parte externa do grão de trigo .E atenção se vier mais de um tipo de farinha na composição do pão, como farinha de centeio, farinha de aveia, farinha de linhaça, etc., pois são sementes e cereais saudáveis e agregam valor nutricional ao produto. Não obstante, a quantidade pode ser mínima, e como infelizmente, não há obrigatoriedade pela ANVISA (agência nacional de vigilância sanitária, que regulariza entre outros o setor alimentício) de se informar a quantidade destes no pão , fica difícil saber se realmente vale a pena pagar mais por algo que pode  não fazer muita diferença na composição do produto , e conseqüentemente para sua saúde.E ainda , na área dos ingredientes , deve-se levar em conta que por ser um produto como qualquer outro industrializado ( a não ser que se opte por outros  pães que se acham em entrepostos ou loja de produtos naturais ) , este é repleto de conservantes , acidulantes , aromatizantes  , melhorador de farinha( é só observar no fim dos ingredientes ). E é óbvio . Por que você acha que dura bem até 7 dias ou mais fora da geladeira , quando um pão feito em casa não suporta mais de 3 dias em temperatura  ambiente no verão , e já começa a mofar ? Portanto , conclui-se que  estes , mesmo  com grãos  e sementes saudáveis como quinoa , gergelim , aveia , linhaça , etc. , são repletos de substâncias químicas . E mesmo que se apregoe que são substancias produzidas em laboratório e seguras para o organismo , em excesso e com o tempo, entopem o organismo de lixo químico ( aumentando a quantidade de radicais livres que levam ao envelhecimento precoce das células gerando doenças degenerativas,como mal de Alzheimer, Parkinson,cânceres , etc.E principalmente, em relação à linhaça, amaranto, chia e quinoa , muito em voga , devido as pesquisas que atestam seus benefícios à saúde , a sua quantidade nos pães quando não indicada pode ser irrelevante. E deveria ser obrigatório , que viesse ao lado de cada um desses ingredientes a sua porcentagem total para a avaliação do consumidor. Apenas encontrei um ou outro pão, que teve  a coragem de colocar na lista  de ingredientes , a quantidade total de linhaça ( 0,5 % ) . Por isso , que a grande parte dos fabricantes oculta a quantidade desses grãos . É claro que essa quantidade é irrelevante em termos de aproveitamento nutricional ; mesmo que se comesse o pão inteiro. Você pagará mais caro por quase nada a mais .E também em relação  aos benefícios proporcionados pelas sementes de linhaça , especificamente falando , como as gorduras ômega 3, 6 e 9, importantes agentes antioxidantes e anticancerígenos ; só conseguem ser plenamente absorvidos pelo intestino quando levemente trituradas . Então , não adianta nada levar um pão ou o quer que seja , em que a linhaça venha como “semente” ; o ideal , é que ela tenha sido usada como “ farinha de linhaça “ .Nesse caso , as benesses da linhaça serão amplamente utilizadas pelo organismo. Não esqueça de observar esse detalhe muito importante ao ler os ingredientes do pão.)

E atenção com os “ pães bem finos “ , os chamados de “ WRAPS “

Muito em moda atualmente , que provem do  “Wrap” ,  que traduzindo do inglês para o português significa literalmente “ embrulho “ . Se parecem muito com uma panqueca ou pão árabe , e por serem bem fininhos são vendidos como “ light “, “ low carb “ ( pouco carboidrato ) etc.. Seria maravilhoso se fosse assim como apregoam , uma ajuda e tanto para quem ama sanduíches, mas se preocupa com a balança ; não obstante, todas as marcas industrializadas  levam gorduras trans . Ex: Rap 10  da Pullman – Bimbo , tanto o tradicional , quanto o “ light “ . Esse cuidado também deve ser seguido ao adquirir o pão árabe. Procure o integral ( mais  saudável ) e veja se leva “ gordura vegetal “ . É a tal “ trans “ “disfarçada “  ou “ interestificada “ . Também não se engane com todos os pães de “fabricação própria” dos supermercados “ Extra” ,“ Pão de Açúcar “, etc., das  padarias e confeitarias em geral , dos “ Hortifrutis “ , e outros estabelecimentos comerciais de grande porte , pois estes estão cheios de “ irregularidades “ : usam gordura vegetal hidrogenada ( trans ) , seus pães integrais nada mais são do que feitos com farinha de trigo refinada adicionada de farelo, são cheios de aditivos químicos , etc.. Enfim , vocês já sabem… E não se  deixem levar pela “ bela  imagem “ de  muitos mercados , em que os padeiros trabalham e assam os pães  atrás de um vidro transparente , à vista dos clientes . Parece uma imagem “bucólica “ , de um trabalho bem rústico, caseiro mesmo . Ledo engano . Aquele padeiro antigo que dissolvia o fermento , juntava a farinha , e a água aos poucos até dar o ponto do pãozinho francês  não existe mais ; pelo menos nesses grandes “ mercados “.


Primeiro , todos os pães já vem com a “ mistura pronta “ industrializada ; do tipo que podemos achar nos mercados atualmente. Ex. : mistura pronta para fazer “ pão integral “ ,”sonho“,” bolo “, para “ bolinho de chuva “, para “ pizza “etc. O padeiro só acrescenta água ou mais algum tipo de gordura , o recheio e/ou cobertura ( também já prontos ) coloca no maquinário para bater , depois molda na máquina ou na mão , e leva ao forno .O problema são essas “ misturas prontas “ para tudo . Por serem industrializadas , e conseqüentemente, voltadas para o comércio em larga escala , são repletas de substâncias químicas . Elas devem durar mais , terem cor , cheiro , textura , aparência , e claro , o gosto bem acentuado que “ seduzam “ o cliente. Para isso tudo , só mesmo muito produto artificial…


Portanto , não se iluda com aquele inocente pãozinho francês saído quentinho do forno. Ele não é mais feito com farinha , água , fermento , sal e açúcar , como antigamente… Hoje , ele também leva gordura trans e/ ou manteiga , conservadores diversos , reforçador de pão , etc. ; e sabe-se mais o que? algumas indústrias ainda usam o “ bromato de potássio “  e/ou  “ carbonato de sódio “ , dentre outros ; proibidos pela ANVISA , desde 1997 , de serem usados em qualquer quantidade nas farinhas , no preparo das massas  e nos produtos de panificação em geral . Estes aumentam artificialmente o tamanho dos pães , em até  30 %  ; com a casca se tornando mais pesada e o pouco miolo do pão , quando cortado com faca se esfarela .

O KBr03, mais conhecido como “ bromato de potássio “, é uma substância oxidante , altamente cancerígena . E infelizmente , como ainda é permitida em países vizinhos , como a Argentina, muitos panificadores e empresários inescrupulosos trazem essa substância maléfica  para a composição dos pães que produzem aqui .

Outro cuidado importante , mas muito negligenciado , é em relação à quantidade de sal ( no rotulo vem escrito  Sódio , ou seja , cloreto de sódio ) encontrada nos  pães . Apesar do sal  ser fundamental para o bom funcionamento do organismo , já que é importante para o equilíbrio dos fluidos corporais e na transmissão dos impulsos nervosos ; em excesso , é mesmo considerado por si só um dos fatores de risco para problemas cardíacos . Também em demasia colabora com a retenção de liquido no organismo , nos cálculos renais , nas doenças da tiróide , na pré-eclampsia em grávidas , e aumenta a pressão arterial em pessoas com tendência . E irrita a mucosa do aparelho digestivo de tal maneira que provoca lesões capazes de evoluir para um câncer . Conter o consumo de sal protege o coração mesmo dos que não são hipertensos , e evita danos respiratórios , como crises de asma ; alem de manter o estomago sadio , longe de gastrite e ulceras .E muitos dos pães que analisei apresentavam quantidades elevadas de sal na sua composição . Se não bastasse , uma pesquisa feita há algum tempo com os sanduíches de uma empresa de “ fast food “ continham mais  de 80 % de sódio recomendado para ingestão segura .E como usualmente acrescentamos ao pão, um creme vegetal, ou pasta de soja ou maionese ou requeijão vegetal, enfim, a maioria tende a ter sal; a atenção tem que ser redobrada para não extrapolarmos a quantidade de sal recomendada.

A recomendação é que adultos ingiram de 4 a 6 gramas de sal por dia ( uma colher de chá rasa de sal ). Idosos e crianças devem consumir menos . O idoso , aproximadamente 5 gr ; e crianças até os dois anos de idade, o sal não deve ser adicionado à dieta . O brasileiro , em geral , consome o dobro do ideal .

O sódio não é sinônimo de sal. Visto que 6 gr de sal equivalem a 2,4 gr de sódio . Fique atento na hora de ler o rotulo dos alimentos : eles trazem a quantidade de sódio , e não de sal . A analise dos pães  em geral se refere à 50 gramas , que pode ter a equivalência  de uma até três fatias , que dependerá de seu tamanho ( nas marcas mais tradicionais do mercado equivalem a duas fatias ) ; e estas estão com os valores nutricionais expressos em mg ( miligramas ) . Para facilitar, a recomendação diária é de 2400 miligramas de sódio .Para se ter uma idéia  1 grama de sal contém 400 miligramas de sódio.


Segue abaixo a lista de todas as marcas de pães que analisei para facilitar sua escolha na  próxima compra :


1 PÃO DE FORMA TRADICIONAL: “ Wickbold “ , “ Plus Vita “,” Van Mill” 
“ Nutrella “ , “ Qualitá “, “ Q-Pão , “ Energia , “ Tica “, “ Panco “ ,

“ Golden Vital “ , “ Tradição “ .


Além de serem pobres em nutrientes ; TODOS , sem exceção , levam gorduras TRANS . Se mesmo assim  você prefere consumir este tipo de pão, por ser mais barato e/ou achar mais saboroso , OPTE pelos que tem a versão “ LIGHT “ . Pelo menos você estará livre da gordura trans ; mas ainda sem o acréscimo de substâncias saudáveis .

2 –  A marca de pão de forma “ WICKBOLD “ é a com maior número de IRREGULARIDADES . Ou melhor dizendo , “ falcatruas “ mesmo . Exceto os “ light “ , todos levam “GORDURAS TRANS”  nas suas composições . E nenhum de seus pães que se dizem integrais , o são de verdade . São simplesmente pães adicionados de fibras . E até seus pães da linha  “multigrãos  “, o “ Grão Sabor “ ( granola e iogurte, girassol e castanha, etc. ) , que a priori deveria ser o mais “ completo “, nutricionalmente falando (apesar de levar iogurte, que é um produto de exploração animal), não leva farinha de  trigo integral , e sim , a farinha de trigo refinada ( mais nociva à saúde ) ; além de gordura trans . E seu pão “ linhaça integral “ , não é integral , e  também , não leva “ farinha de linhaça “ , somente a semente , o que prejudica sua absorção adequada pelo organismo . Sua “ bisnaguinha “ leva gordura  trans , coitada das crianças . Sua torrada também.

A “ Wickbold “ lançou há algumas semanas  a “ broa de milho “ , e para variar também contém trans . Não tem jeito mesmo…Seus pães também são cheios de sal , nenhum tem menos de  250 mg de sódio na porção de duas fatias , inclusive sua linha  “ light “ e “ Grão Sabor “ . Alguns exemplos : light tradicional – 265 mg ; light integral – 268 mg ; tradicional – 293 mg  ; pão preto – 293 mg .


A sua linha de “ pão alemão “  (  “Brot “ ) importada  da Alemanha ; não leva aditivos químicos , só fermento biológico . São três pães : – “ Volkorn-brot “ 100 % integral . Leva centeio (64 %) e sal .Uma fatia  ( 50 gr ) tem 195 mg de sódio .  “ Fitness-brot “ – 100 % natural .Tem centeio integral( 30 % ), aveia (19 % ) , farinha de centeio  ( 9 % ) , germe de trigo (1 %) e sal . E como tem sal : 245 mg por 50 gr ( meia fatia ).  “ Korn-brot “ – 3 grãos, contém centeio ( 46 % ) , aveia (3 %), farinha de centeio  ( 7 % ) , cevada ( 3 % ) , semente de linhaça  ( 3 % ) , gergelim ( 0,4 % ) e sal . Também teor de sódio elevado : 250 mg em 50 Gr ( meia fatia ) . Apesar do teor de sal alto nos dois últimos pães , e de faltar  algumas informações  precisas quanto aos  “ cereais “ , são bons produtos ( é claro  , não são produzidos no Brasil   pela “ wickbold “ ) . O problema é o preço: R$ 10,00 em media cada pão .

Por  mim , ou  a “ Wickbold “ modifica toda a sua linha , ou deveria ser fechada , banida do mercado . Como uma  marca tão tradicional e renomada no segmento de pães de forma  pode agir de forma tão irresponsável  e enganosa ???

3 –  Se existe a preocupação com a quantidade de SAL que se ingere , evite os pães com mais de “ 200 mg “de sódio por porção ( 50 g ou 2 fatias) . Pois não se esqueça que ainda se acrescentará o recheio , que também levará sal , e que você consumirá mais  sal ao longo do dia em outras refeições . E a tendência a extrapolar os valores ideais e seguros para a saúde é muito grande . Infelizmente , todos os pães de forma tradicional  no mercado tem a quantidade de sódio acima de 200 mg por porção (em 2 fatias ).

O “ Van Mill “ foi o de maior valor de sódio , absurdos 409 mg na  porção. É muito sal … Imagine ainda com uma pasta de soja ou requeijão vegetal com muito sal. A quantidade de sódio passará de 900 mg , fácil , fácil . E se as outras refeições forem ricas em sal , a quantidade diária de sal ultrapassará facilmente os 6 gr de sal  ou 2400 mg de sódio . Se você  tem tendência  à pressão alta ou se preocupa com sua saúde, preste atenção nos valores do sódio dos pães .

Alguns valores de sódios em diferentes marcas de  pães:


“ Wickbold “ –  Sem comentários !

–  “Qualitá” tradicional : outro bem alto , 347 mg na porção .


“Nutrella” :linha “Nutella Vitta natural 100 % “, o de “Grãos e castanhas” tem 136 mg ; o de “ ameixa e iogurte “ tem 143 mg ; o de “ 14 grãos “ tem 169 mg . Todos tem valores de sódio dentro dos limites , porém não são pães “100 % “ integrais , como apregoam nas embalagens.

“ Plus Vita “ : “ 12 grãos  light “ 100% integral – 224 mg . Outro bom pão  , mas com sódio elevado. “ Trigo “ 100 % integral, linha light – todos tem 163 mg . Bom pão , com valor de sódio baixo . Boa opção para quem quer fugir do sal em excesso , porém ainda não é o pão ideal .

– Já o pãozinho francês de 50 gr tem em média 157 mg de sódio.

3 –  “ Bisnaguinhas “ : Muitas crianças costumam comê-las , principalmente como lanche . Além de serem pobres nutricionalmente , já que só levam farinha de trigo refinada , são cheias de açúcar e gordura trans . Ex :”Golden vital “ , “ Panco “ , “ Plus Vita “ , “Jack” . A bisnaguinha “ Nutrellinhas “ da marca “ Nutrella “ é a única que usa óleo de girassol ( gordura poliinsaturada – saudável , ajuda a baixar o colesterol ) , apesar de também levar açúcar e farinha refinada .


Os pães de “ hambúrguer “ e de  “ hot-dog” também devem ser bem lidos antes de se escolher qual comprar . As marcas “   Plus vita “ , “ Nosso Pão” , “ Panco “ etc. também estão cheias de gorduras pouco saudáveis , de açúcar e de farinha refinada.Enfim ,  ao consumir “ Bisnaguinhas “ , “ pão de hambúrguer “ e de “ cachorro quente – hot dog “, o façam em ocasiões especiais , principalmente pensando no equilíbrio nutricional da dieta das crianças .



– 

Análise breve das principais marcas de pão encontradas nos mercados :


–  “ Nutrella “ :  – “iogurte , cenoura e mel “, light linha especial ( farinha de linhaça – 1 % ; cenoura in natura 7 % ;  farinha integral 7 % ) . Dá para ver que as quantidades de cereais são  irrisórias . O mesmo acontece com o de “ iogurte , maça e banana “ ( fibra de maça 0,1 % ) Além de usar iogurte e mel, que são produtos de exploração animal.  Outros pães da “ linha especial “ , como o “ pão ômega “ e o “ 7 grãos “  , levam açúcar e farinha refinada .  Além de  óleo de canola  , que muitos não sabem , mas é um produto transgênico ,  ou seja , não existe na natureza , é uma criação de laboratório . E ao contrário do que se apregoa, tem gordura saturada e vegetal hidrogenada ( a maléfica “ Trans “ ).

Sua linha de “ pão preto “ ( schwazbrot ) traz a porcentagem de seus grãos integrais , que deveria ser regra em todos os pães .Não obstante , como vocês mesmo verificarão  a seguir , apesar da  variedade de cereais  , a quantidade destes  é mínima . Ele tem 1 % de farinha  de linhaça , 6 % de farinha integral , 6 % de centeio , além de açúcar . Então , chega-se à conclusão de que a maior  parte de carboidrato corresponde à farinha convencional . Seu pão de batata também é pobre em nutrientes e leva gordura trans . E seu “pão de canela e passas “ tem açúcar refinado e gordura trans .

E acaba de sair no mercado uma linha nova da marca , “Nutrella Vitta Natural 100% integral “ com três tipos de pães : “grãos e castanhas” , “14 grãos “ e “ameixa com iogurte” .Infelizmente , continuou a enganação .A promessa de ser “100 %  integral “ não é verdadeira,já que apesar de levar grãos e cereais integrais , também leva farinha refinada , e não há sequer a porcentagem destes na confecção de seus pães. Como saber se a quantidade de ingredientes saudáveis é significativa ou não ? E também , leva em média uma quantidade razoável de gordura total para duas fatias de pão de forma : 2,0 gr . Mesmo que esta provenha de uma fonte saudável , deve se acrescentar o “recheio” , que na maioria das vezes , também levará algum tipo de gordura , e para os que estão de dieta ou os que querem manter o peso, significará outro entrave . Deixe mofar na  prateleira  do mercado.

Dessa marca , só se salva o  pão   “ Soja light “ Nutrella ( que leva flocos , fibra e extrato de soja não transgênica , germe de trigo e  farinha de linhaça  ). Sua fatia tem somente 35 kcal ; e baixo teor  de sódio , 94 mg  cada fatia . Recomendo para  quem quer aproveitar os benefícios da soja , por ser rica em proteína , cálcio e nas isoflavonas , que atenuam os sintomas da menopausa e da TPM nas mulheres ; e por ser abundante  em  “ folato “ , uma vitamina capaz de diminuir o risco de problemas cardiovasculares .



– E todos os de fabricação própria dos supermercados ditos integrais , 5 ou 7 ou 12 grãos , light ou não ; Não compre. Até podem ser light ( isso realmente está sendo respeitado ) , mas o que dizer da quantidade ínfima de cereais , e de se usar em excesso a farinha refinada , e ainda , de uma infinidade   de aditivos químicos como “ conservadores “ diversos   ou “propionato  de cálcio”,  “emulsificante polisorbato 80 “ ou “ goma guar “ , “ monoglicerídeos“ , e outros mais . Está lá no fim da lista de ingredientes . É só ler .Também , são repletos de sal ; parece padrão do mercado . Mesmo sendo mais baratos que outras marcas , desconfie e evite .

“ Plus vita “ :Apesar de ser industrializado, e consequentente ser repleto de aditivos químicos , tem uma linha  “ 100 % integral  light “ muito boa . Realmente é light e totalmente feito de cereais integrais . O que atrapalha é a falta do percentual de cada um de  seus grãos no rótulo , para uma análise mais precisa . Dentre os pães de forma industrializados essa marca é a mais correta. Indico os “light 100 % integral “:  – “ 12 grãos “ e o  “linhaça e quinoa”. Esses dois são em média mais caros que a grande maioria, valor aproximado de mercado de Cr$ 3,50 a  5,00. E para engrandecer mais a marca, suas embalagens plásticas são 100% biodegradáveis, não poluindo nossos rios, mares, etc.. Outro ponto para a “Plus Vita”! Vale o investimento !



5- Pães artesanais : São difíceis de achar nos supermercados , porém fáceis de comprar nos entrepostos e lojas de produtos naturais ,  como “ Mundo Verde “ , etc.. São mais caros , já que muitos não tem como competir por preços mais baixos de seus insumos , e também como usam produtos diferenciados ( alguns usam produtos orgânicos , e quiçá um dia , a grande maioria  se volte para este cultivo e produzam pães 100 % ecologicamente corretos ) ; mas , por enquanto , o seu custo ainda é maior . Também são isentos de aditivos químicos , o que diminui sua validade . E por ser uma produção pequena , muitas vezes caseira , nem sempre se achará facilmente na loja que se costuma comprar. O ideal é fazer encomenda e /ou reserva com antecedência na loja . No mais , são mais digestivos e dão uma sensação de saciedade fantástica . Apesar dos pães artesanais integrais serem mais “ duros “ que os industrializados , já que não levam “emulsificantes industrializados“ , que os deixam artificialmente mais macios ,  são mais saborosos e fáceis de identificar o sabor característico de seu grão . É só uma questão de hábito para se perceber o quanto é gostoso e saudável os pães artesanais . Indico todos abaixo , que apesar de mais caros , que a maioria , em media R$ 6,00 ou mais; são verdadeiros guardiões e protetores da saúde . Um excelente investimento a longo prazo . Quem sabe você não estará economizando no remédio de amanhã  ?



Procure alternar os pães, durante uma semana coma  o integral puro , na outra um rico em grãos , depois só de centeio , depois de soja , depois o de linhaça e, sempre prefira os orgânicos certificados, etc.. Desse modo não há o perigo de se enjoar ao comê-los todos os dias, e se  estará acrescentando nutrientes sempre variados e saudáveis ao organismo, e também, diminuirá a carga de substâncias quiímicas e venenos, ao se optar pelos pães orgânicos certificados .Agora só cuidado com o que você passará no pão, dê preferência às geléias caseiras de frutas sem açucar, pastinhas caseiras ou industrializadas orgânicas à base de tofu, pasta de amendoim caseira, azeite extra-virgem de oliva com teor de acidez menor do que 0,5%, etc., pasta de abacate com tomate orgânico (variação do “guacamole”), ou outros, saudáveis… Senão não há cereal, semente ou grão integral que dê jeito.



” FAÇA DO SEU ALIMENTO, O SEU MEDICAMENTO! “




Fonte ;Autora-JAQUELINE LOUIZE 

Nutricionista (Consultora de nutrição e gastronomia), Educadora física com formação em balé, ioga e treinamento desportivo.

*******************************************************************************************************************
Resultado de imagem para imagens sobre o filme star wars

Posts relacionados;
**************************************************************************************************************

Divulgação: A Luz é Invencível
Compartilhe com seus amigos, imprima, copie o link, envie por e-mail.

Facebook Addthis Amazon AOL Mail Baidu Facebook Messenger Copy Link Email Gmail Google+ LinkedIn Myspace Outlook Print PrintFriendly Pinterest Twitter WhatsApp

Voltar

x

Sugestão do Editor.

AS 10 MAIS DO MÊS