2 de dez de 2016

Explosões solares: Algo estranho no ar?

O seguinte documento foi divulgado em meados de 2003, sobre as poderosas explosões solares ocorridas nesse ano. Como sabemos, entre 2012 e 2013 haverá uma nova intensificação das explosões solares, muito possivelmente maiores do que as anteriores.

Este texto é baseado nas pesquisas de um dos cientistas do Projeto Soho (Solar and Heliospheric Observatory) dr. John Eising von Bettel, físico e astrônomo, descobridor dos padrões solares irregulares que podem ameaçar a vida na Terra. As explosões solares afetam não somente os sistemas de comunicação, a eletrônica, o clima, mas até as correntes elétricas de nosso cérebro, alterando nossa normalidade psíquica

Seu relatório foi escrito em 2 de novembro de 2003 e prontamente impedido de circular pelas altas autoridades militares dos Estados Unidos sob o argumento de se evitar “pânico e consequentes desordens mundiais generalizadas”.

Mas a verdade tem de ser dita, custe o que custar. Pelo menos para que a sociedade organizada discuta abertamente todas as possibilidades futuras da humanidade…

O dr. Von Bettel não aceitou a arbitrariedade e, por isso, encontrou-se detido, por um tempo, em estabelecimento militar de segurança máxima, porém, seu relatório foi posto em circulação através da internet por seu colaborador Friedman Bolgmaster, para alertar a comunidade científica e as pessoas esclarecidas em geral sobre os crescentes acontecimentos solares e suas consequentes implicações e ameaças.

Será que essas explosões solares visam equilibrar a rota cósmica do Sol e seus planetas, como ensina a Gnose em seu tema sobre o Solioonensius? Talvez haja alguma interferência extrassistema solar que obrigue o Sol a aumentar o nível e a potência das explosões solares. Será talvez a possível interferência de Hercólobus se aproximando? Veremos com o tempo. Veremos…


Abaixo, o relatório em questão, intitulado Solar and Heliospheric Observatory (Soho):

Caros e ilustres colegas do projeto, os recentes fenômenos solares demonstram um certo padrão de instabilidade nas constantes matemáticas evidenciadas. Desde que o projeto se iniciou, as medições e o monitoramento da superfície do Sol, jamais se verificou tamanha anormalidade nas constantes, e, pelos fósseis analisados e demais restos minerais que armazenaram a atividade solar ao longo das eras, não se encontram evidências de que isto também tenha ocorrido anteriormente, o que torna certa e clara uma manifestação potencialmente perigosa e ameaçadora do Sol.

Diante de tais evidências, declaro a real possibilidade de grandes erupções e explosões solares com a emissão de flares ainda maiores, pois o espectro eletromagnético, bem como a incidência de grandes manchas solares e o consequente desequilíbrio da fotosfera demonstram uma desordem da atividade estelar, que atingirá seu ápice provavelmente nos meados de março do seguinte ano.

Não preciso relatar aos colegas as consequências que tais fenômenos trarão ao nosso mundo, é notório que se as manifestações ocorrerem será o fim da raça humana e de todas as formas de vida do planeta. Nós, homens da ciência, nada podemos fazer a não ser pedir a Deus que as coisas tomem outro rumo.

Sempre fui cético em relação a profecias e, em certa época de minha vida me declarei ateu, mas agora, às portas do fim, vejo e reconheço minha ignorância.

Ao me solicitar esse relatório o dr. Erik Sindler pediu-me para “qualquer que fosse o resultado de suas observações, tudo deve ser sigiloso”, pois segundo ele autoridades do governo não querem causar alarde internacional.

Ora, Senhores do Soho, não se trata de causar alardes, tal fato não deve ser encoberto. Seria aceitável tal atitude se houvesse alguma probabilidade de não ocorrência do fenômeno, contudo, infelizmente, as recentes medições realizadas pela sonda Soho na grande emissão de massa coronal do dia 22/10/2003, ocorrida próxima à mancha 484, a enorme proeminência do dia 25, ocorrida as 01:17 UT e o assombroso flare do dia 28 que irrompeu da mancha solar 486, exatamente às 11:10 UT, demonstram os referidos padrões de instabilidade e revelando o que todos nós suspeitávamos: que as manifestações e emissões potencialmente destrutivas irão ocorrer. Isso é inevitável.

Portanto, rejeito totalmente essa hipótese e peço que os senhores me apoiem em tal luta. O mundo precisa saber o que realmente está ocorrendo. Precisa saber que o Sol, a fonte da vida também será da destruição. Reconheço que haverá desordens e caos, mas não é ético ocultar tal informação das pessoas. Um médico não esconde de seu paciente a doença, nós não devemos agir dessa forma.

Fonte: http://www.gnosisonline.org/fim-dos-tempos/exploses-solares-algo-estranho-no-ar/

Pesquise no Site por Assunto

AS 10 MAIS DO MÊS