13 de dez de 2016

Os deuses penates – Os anjos da guarda coletivos.

Assim como existe uma Parte de nosso Ser Divino chamada Anjo da Guarda, ou Intercessor, também existem os Anjos Guardiães coletivos: de vilarejos, aldeias, cidades, estados, países e até planetários, como veremos no texto a seguir:

Existem diversas categorias de Regentes, desde os superuniversos e supersóis, passando pelas galáxias, sistemas solares etc. Temos também os Regentes interplanetários e os Regentes de cada planeta. Ensina o Mestre sobre os Regentes regionais: “Um sopor de incontáveis séculos pesa sobre os antigos mistérios e os Deuses Penates continuam existindo nos Universos Paralelos.



Os hierofantes podem conversar com esses Deuses Penates, regentes de cidades, povos, aldeias e lugares, nos mundos suprassensíveis das dimensões superiores do espaço. O bendito Patrono de um povo é o seu Deus Penate ou Santo Anjo da Guarda. O Reitor Secreto de qualquer cidade é sua deidade especial. O Espírito protetor de qualquer família é seu diretor espiritual…

Todos os Gênios ou Jinas misteriosos das raças, famílias, nações, tribos, clãs… constituem os Deuses Penates dos tempos antigos que continuam existindo nos mundos superiores.

Muitas vezes temos conversado com esses Deuses Penates, regentes de antigas cidades clássicas, os quais alguns padecem o indizível, pagando terríveis dívidas cármicas”.

Geoffrey Hodson, eminente clarividente da Sociedade Teosófica, ensina também sobre esse tema dos Deuses Penates: “Toda raça humana é presidida por um excelso Arcanjo, que exerce continuamente uma influência espiritualizante sobre os Íntimos de todos os homens. Este Arcanjo da raça humana unifica-se no nível da Vontade Espiritual, ou Atman, com cada Alma humana. E emprestando a cada um o seu poder Átmico, muito mais altamente desenvolvido, lhes intensifica a influência de sua própria Mônada e do Raio desta. O grau dessa intensificação e da correspondente resposta do homem varia através de milhares de séculos, de acordo com o efeito da progressão cíclica e da culminação e coincidência dos ciclos componentes. Não obstante, supõe-se que esse ministério continue ininterrupto através de todo o período mundial, cuja duração, em termos de tempo físico, tem-se dito ser pelo menos de 50 milhões de anos.

Cada nação bem estabelecida é presidida, de modo semelhante, por um Anjo Nacional ou Arcanjo Potentado. Esta excelsa inteligência está mais particularmente associada com as Almas de todos os cidadãos da nação. Ele se unifica com cada um e continuamente intensifica a força e a vida espirituais do Ser. Algumas vezes também envia um impulso até a personalidade para ela agir da maneira que melhor contribua para o preenchimento do darma e da evolução até a estatura do ‘homem perfeito’.

Um anjo Nacional pode ser estudado de dois pontos de vista distintos. De acordo com um aspecto, ele pode ser encarado como um membro das mais elevadas ordens da Hierarquia Angélica, designado para esse alto cargo.

O trabalho do Anjo Nacional é estimular a evolução de sua nação e inspirar seus líderes a tomarem decisões no sentido de auxiliar o preenchimento do darma nacional. Ele procura reduzir ao mínimo os efeitos dos erros e exercer uma influência moderadora, de sorte que a nação não se afaste indevidamente do caminho que a conduz ao seu mais alto destino, ou fracasse em tomar o seu lugar designado na família das nações.

Como já foi dito anteriormente, acima dos Anjos Nacionais do mundo há um Ser ainda mais elevado, que auxilia toda a raça humana neste planeta, de maneira análoga àquela em que o Anjo Nacional ajuda o seu povo particular.

Superiores a este Oficial existem, com toda a probabilidade, Anjos interplanetários, que auxiliam a totalidade da humanidade em uma Ronda, Cadeia ou Esquema Planetário. Não há dúvida de que este sistema hierárquico se estende até incluir Sistemas Solares, e mesmo Cósmicos, todos ligados entre si por seres angélicos de crescente estatura espiritual.

Quer nos parecer que um método hierárquico algo similar é empregado pelos membros mais avançados da raça humana, que constituem a Grande Fraternidade Branca dos Adeptos, que velam pela humanidade.

A reação adversa ou favorável resultante da conduta, isto é, o mau trato da população indigente de países colonizados produz carma adverso, enquanto o auxílio prestado a povos necessitados gera carma favorável.

Desde que ambos são educativos, todo carma, em última análise, é benéfico.”

Fonte: http://www.gnosisonline.org/magia-cosmica/os-deuses-penates-os-anjos-da-guarda-coletivos/

x

Sugestão do Editor.

AS 10 MAIS DO MÊS