19 de jan de 2017

O Filme Inteligência Artificial

Qualquer um que tenha lido alguma de nossas análises de filmes vai reconhecer imediatamente o que se esconde sob a superfície da IA(ou AI, como queiram). Basicamente, são os mesmos motivos ocultistas, mas este tem a maestria artística de Steven Spielberg. Desmascarar um filme de Spielberg ou Kubrick é uma experiência bastante desagradável aqui no Apocalink, pois, se por um lado, temos uma grande admiração por sua competência, porém não podemos tolerar as suas filosofias subjacentes. Ok, então. O leitor pode querer ler primeiro o relatório de 1968 sobre o filme de Stanley Kubrick 2001: Uma Odisséia no Espaço , lembrado principalmente pela IA do computador HAL 9000, porém, muito menos conhecido por sua transformação alquímica do tema homem.

A.I. Artificial Intelligence (br/pt: A.I. – Inteligência Artificial) é um filme de ficção científica de Steven Spielberg lançado em 2001, a partir de um projeto de Stanley Kubrick, sobre a possibilidade da criação de máquinas com sentimentos. a fundo a produção de Artificial Intelligence é sobre um computador AI em uma busca heroica para a transformação alquímica (chumbo em ouro, o homem em deuse, robô menino de verdade). Então os filmes são tão similares que poderiam ter sido intitulados, de ”2001, AI: Uma Odisséia na Terra”. Quaisquer comentários sobre este filme, inevitavelmente, nos fala que AI é baseado no conto de fadas Pinóquio – e que é uma espécie de verdade. Enquanto Pinóquio forma a estrutura da narrativa, AI é realmente baseado no mesmo tema em que Pinóquio era: a transformação alquímica do golem. O golem(Golem é a palavra hebraica para a substância disforme ou forma bruta- Salmo 139:16).  Deus criou o homem do pó da terra (Gen 2), depois que soprou o “fôlego de vida” nele – a substância disforme formada à imagem de Deus. A busca do golem de AI é a busca de sua transformação em Deus.
O filme abre com esta cena de um oceano turvo. O narrador nos conta que:
“Aqueles foram os anos após as calotas polares terem derretido por causa dos gases de efeito estufa. E o nível dos oceanos subiram inundando as cidades costeiras do mundo inteiro. Amsterdã, Veneza, Nova York … perdidas para sempre. Milhões de pessoas ficaram desalojadas. O clima ficou caótico. Milhões de pessoas morreram de fome nos países mais pobres. Nos outros, um alto grau de prosperidade aconteceu quando a maioria dos governos desenvolvidos introduziu sanções legais estritas a gravidez, razão pela qual os robôs, que nunca sentiam fome e não consumiam recursos além do necessário a sua fabricação, transformaram-se em um elo econômico essencial para a sobrevivência  da sociedade “.
Há um monte de propaganda sendo embaladas aqui:
1-o aquecimento global
2-Controle populacional
3-Sustentabilidade dos recursos
4-Os maus seres humanos versus os bons robôs.
Mas acima de tudo, percebemos uma alusão ao Grande Dilúvio de Gênesis. Sabemos que Deus causou o dilúvio por causa da maldade do homem, mas aqui o homem é culpado de um tipo diferente de pecado: os gases de efeito estufa. Humanidade eco-terrorista é a emissora do carbono  e esta próxima grande inundação é a punição por nossos pecados ambientais.
Nós podemos pensar que estamos pisando no terreno “religioso” na abertura do filme.
Vemos, então, o logotipo da Cybertronics, cujo projeto “M” parece fazer alusão à divindade egípcia Osíris. Consegue notar a semelhança?

O logotipo Cybertronics / Osiris, no filme ele é o Professor Allen Hobby, é a divindade pai no filme, o criador dos robôs mecas, o demiurgo gnóstico.

Professor Allen Hobby diz: “Criar um ser artificial tem sido o sonho do homem desde o nascimento da ciência.” Em outras palavras, a ciência tem capacitado o homem a tornar-se um criador – como Deus.
Sua empresa Cybertronics fabrica robôs, e  que de propósito são chamados de mecas(mecânicos) – os tão essenciais para a sobrevivência da sociedade, mas Hobby quer fazer algo de novo: ele quer criar um robô que possa amar.

Uma mulher na platéia diz que não é tão difícil criar um robô que ama, o truque é fazer com que o proprietário ame o robô de volta. Ela pergunta:
“Se um robô pudesse realmente amar essa pessoa, que responsabilidade uma pessoa terá em relação a esse mecanismo de volta?”
Ela então diz: “E tudo é uma questão moral, não é?”
Hobby: “A mais velha de todos. Mas, no início,  Deus não criou Adão para amá-lo?”
A pergunta implica que nós também somos golens construídos de propósito. Nós já sabíamos que estávamos aqui por motivos bíblicos, mas agora o paralelo foi feito entre Deus e o homem, e homem e os mecas. O homem/meca , a narrativa irá espelhar a relação Deus / homem.
Esse espelhamento é visualmente comunicado por Sheila, a meca que usa a maquiagem.
Após isso, em seguida, aparece  uma mulher se maquiando em um carro.
Essas pessoas são Henry e Monica Swinton, que sairam para verem o seu filho.
Seu filho Martin está congelado em uma cápsula criogênica aguardando na ciência o milagre para encontrar uma cura para sua doença.

Na parede, vemos várias ilustrações de um contos de fadas, aparentemente decorações para as crianças. Mas Henry e um médico  conversam perto da  parede dando-nos uma imagem clara de um imperador nu , uma referência ao conto de fadas do Imperador ou rei nu.
Este imperador é claramente uma alusão a Deus: a percepção que o filme nos passa do Deus cristão do filme é que Deus é vaidoso, egocêntrico e inseguro assim como o imperador do conto de fadas, é por isso que Ele nos criou por amor, nós somos os seus “robôs construídos de propósito”, por assim dizer. E basta olhar para a dor que a Sua vaidade causou.

Henry, um funcionário da Cybertronics, traz para casa o seu novo amor, o robô, David (“amado”). Ele é apenas um mecanismo normal, em primeiro lugar, para que ele possa amar, a pessoa que quer o seu amor tem que recitar umas palavras ou protocolo  de imprinting.

Kilroy esteve aqui. Qualquer pessoa que queira especular sobre a possível alusão Kilory pode começar aqui .

No jantar, ficamos com esta cena incomum.  Na cena, a visão panorâmica da cÂmera tem intenção de fazer parecer com que David, tenha uma auréola de luz sobre, como um ser divino. David, que viremos a aprender, é o filho Christos. Esta cena é um símbolo de sua divindade.
Hobby, lembre-se, representa Osíris. E agora vemos que David é um deus-criança, ou Hórus.

Simbolicamente, Monica,é  a deusa Isis,  pois temos o simbolismo da lua para a deusa, que é a lua crecente durante o repouso do golem IA. A trindade arquétipica:.
Hobby = Osiris
Monica = Isis
David = Horus

Monica (Mooonica, como eles pronunciam no filme, as vezes) decide ficar com David. Existe um procedimento a seguir em que ocorrerão as mudanças pelas quais David passará de um mero mecanismo para um robô que ama. Esta é uma grande decisão, pois uma vez que David for conectado, isso nunca mais poderá ser revertido, apenas poderá ser destruído, caso ela decida não mais ficar com ele.
No protocolo de imprinting ou conexão neural com a maquina, vemos que há uma lista de palavras para citar.

Note também que David está sentado sobre um tapete circular cheio de números simbólicos ocultistas , (em especial 3,de trindade satãnica). Humm … um círculo com números e algumas palavras estranhas para citar. Isto é a magia.
Enquanto nós não nos importamos em olhar muito profundamente no significado dos números ou palavras, basta dizer que este é um encantamento mágico para trazer o golem David “à vida“.
Arthur C. Clarke, que escreveu no romance 2001: Uma Odisséia no Espaço, disse:
“Qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível da magia.”
Após a conexão, David agora ama Mônica e a chama de sua mamãe. Lembre-se que Monica não deu luz a Davi: é uma concepção tecnológica da concepção imaculada de Jesus Cristo.
                                         
Se ainda houver qualquer dúvida, depois, vemos que Monica pega um velho brinquedo robô urso, liga o interruptor de alimentação, em seguida, colocou-o no centro do mesmo círculo onde David foi ”iniciado” primeiramente, onde, em seguida, ele se levanta.

Um problema surge quando Martin, o filho biologico, de alguma forma fica melhor de saúde e volta para casa. Ele estava congelado, mas agora está ressuscitado. Esse mesmo evento será espelhado no final do filme com David.
David escuta nas proximidades, Monica lê Pinoquio para Martin.

Depois começa uma rivalidade, Henry e Monica percebem que eles devem se livrar de David. Sabendo que ele deve ser destruído, ela tenta devolvê-lo à Cybertronics, então o deixará em uma floresta, mas não pode ficar mais com  com ele.
É uma prefiguração,  David é expulso do Jardim do Éden. Monica cai fora e o  deixa na mata e fala para ele correr. David lembra que a Fada Azul transformou Pinóquio em um menino de verdade. Ele decide encontrar a Fada Azul para que ela também possa torna-lo um menino de verdade, em seguida, voltara para casa para sua mãe, já que ele é programado para amar.
Assim começa a busca do golem. A busca do herói , a narrativa normalmente tem três etapas ou fases:
a) partida
b) o início
c) volta.

A lua alquímica guiará David ao longo de sua jornada. A lua é um símbolo da transformação – especialmente em propagandas de filmes: pensar em qualquer filme como lobisomem, na conexão lua / biohazard no Demolidor, a lua e monolito de Kubrick em 2001, e assim por diante.
Primeiro, a lua aparece como um balão transportando caçadores de recompensa que capturam ele e um robô de prazer ou robô sexual chamado Gigolô Joe .

Os robôs são trazidos para Feira Flesh, também é simbolizada pela lua. Este é o lugar onde os mecas são feitos de brinquedos de diversão e de esporte em uma arena estilo gladiadores, que não comemoram a morte, mais que “celebrarem” a vida.

David e Joe estão enjaulados para serem executados. Durante a fase de iniciação do herói, ele deve enfrentar os desafios intensos, às vezes com a ajuda – e aqui esta Joe.
O locutor diz a multidão que este menino é o mais recente”, no grande esquema para eliminar progressivamente todos os filhos de Deus.”
“Nós só estamos demolindo a artificialidade!” Este é o discurso bastante forte, e de espírito bastante elevado para  um simples caçador de mecas. Ele poderia estar se referindo ao final desta fase de iniciação?
“Que aquele que estiver sem pecado,  que atire a primeira pedra.”
Aqui aludindo às palavras de Cristo, filmes de Holyood,  temos sempre um fanático religioso obrigatório, que retrata os cristãos de forma negativa , o cristão é retratado sem compaixão, eles são sempre anti-tecnologia, anti-progresso, pois existe uma guerra contra o Deus cristão e seus seguidores.
David implora por sua vida, algo que os robôs mecas nunca fazem, e a multidão fica espantada com essa reação.

Depois de escapar da Feira da carne, e passar no primeiro teste de iniciação, David e Joe acompanham a lua indo em direção a Cidade Rouge.

As estradas que levam à cidade Rouge passam por bocas enormes, como se eles estivessem sendo ingeridos. Isto é, evidentemente, semelhante ao Pinóquio quando foi engolido pelo peixe, bem como ao Jonas bíblico.
Rouge City é um submundo debochado, um parque libidinoso, onde Gigolo Joe aprendeu o seu ofício.

Por isso, é de se estranhar encontrar uma capela por lá, o que não é, certamente, uma associação lisonjeira. Isto é uma alusão à religião sendo de algum tipo de desejo primordial e, como o sexo, uma atividade de muito baixo nível – como Joe descreve: eles entram, dobram suas mãos, olham para seus sapatos e cantam.
Primeiramente, David pensa que esta é a Fada Azul.
Joe lhe diz: “Os que nos fizeram estão sempre olhando para os que as fizeram.” Aqui Joe reitera a narrativa espelhada do filme, então ele menciona que ele pegou um monte de ”trabalhos” por lá, ou seja que na religião rola muita prostituição, fornicação, grana.
Em seguida, eles visitam Dr. saber(conhecimento), quem pode responder a qualquer pergunta. Dr. Saber lhes diz que devim ir  ao “no fim do mundo, onde os leões choram.”
Esta consulta ao Dr. Saber(Conhecimento) é a gnose, ou iluminação. A busca pelo conhecimento.  Compare os estágios de transformação .

David e Joe depois escapam da polícia no amphibicoptero. Como eles voam para longe, percebemos que voam através de um grande par de lábios. Eles entraram na Cidade Rouge através de uma boca e saem através de outra , o que simboliza  que foram cuspidos do peixe, ou sairam do submundo.
O significado disto encontramos em Mateus 12:40,
“Pois assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do peixe, assim será o Filho do Homem estará três dias e três noites no seio da terra.”
A história de Jonas prefigura a morte e ressurreição de Jesus Cristo. Em IA, nós já estabelecemos que David é o divino filho Christus, por isso podemos esperar que ele também va morrer e ser ressuscitado.

Eles voam para o fim do mundo, Manhattan.

O lugar onde os leões choram é O Rockefeller Center(VEJA O SIMBOLISMO AQUI). Este é o lugar onde Hobby e Cybertronics estão localizados.


Aqui David descobre que ele não é especial, apenas mais um de muitos. Ele se enfurece e destrói outro David. E mais uma vez podemos vê-lo rodeado por foco de luz.


Na realidade David foi criado com base no próprio filho biológico morto de Hobby. O Professor Hobby uma alegoria para Osíris, é o pai de David.
David pergunta a ele, “Fada Azul também está aqui?”
Hobby: “Ouviu pela primeira vez sobre a fada azul, de Monica. O que você acredita que a Fada Azul poderia fazer por você.?”
David: “Me torne um menino de verdade.”
Hobby: “Mas você é um menino de verdade, pelo menos o mais real que eu já fiz, isso ​​me torna sua fada azul…”
David então descobre que tudo foi um teste para ver se ele poderia encontrar o caminho de volta até ele, isso provaria que David era realmente capaz de amar, sonhar e desejar. David é um sucesso porque ele tem demonstrado a capacidade de cumprir e ter seus próprios desejos independentes e não o que lhe foi dito para fazer.

Professor Hobby explica o teste como tal:
“O seu raciocínio auto-motivado o levou à conclusão lógica de que … Fada Azul é parte da grande falha humana para desejar coisas que não existem, ou o maior? único dom humano … a capacidade de perseguir os nossos sonhos. “
Professor Hobby, o Osíris demiurgo deus-pai, esta, essencialmente, dizendo a David que seu sonho é inalcançável. David é tão real quanto ele possa conseguir ser, ou seja, ele nunca vai se transformar ou ver a mãe novamente. Isso não soa bem para o demiurgo Hobby: sua vaidade colocou as pessoas através deste espremedor emocional sem recompensas no final! Não há nenhuma transformação, não existe o céu, a recompensa. A busca foi por nada. A promessa do Céu é apenas um conto de fadas.
Observe que esta mensagem esta usando a razão e a lógica.
Após essa constatação, David salta do Rockefeller Center tentando se matar. David investiu tanto em sua religião, que depois que sua crença é abalada, a única opção é o suicídio.

Depois que ele é resgatado por Joe, David usa o amphibicoptero para ir para Coney Island , onde Pinoquio está em exposição.


Lá, ele finalmente encontra a Fada Azul. Mesmo depois que Hobby diz que não existe a Fada Azul, ele ainda continua em sua busca – o seu desejo de achar sua mãe ainda é muito forte.


E aí ele se senta implorando a Fada Azul para transformá-lo em um menino de verdade.

Em seguida, o tempo salta à frente em dois mil anos. As águas do dilúvio congelaram. A humanidade esta extinta.


David é descoberto por alienígenas…óooo, não me diga. Lembre-se que vimos no início do filme um menino congelado sob o vidro: o filho de Monica, Martin. Agora vemos o mesmo poder “criogênico” com David. Chamamos este processo de espelhamento.

David vai para a Fada Azul, a toca, e ela quebra em pedaços. Agora, ele finalmente percebe que ela – e seu sonho de se tornar realidade – eram apenas uma ilusão.


Os alienígenas descobrem que David é um mecanismo com um registro dos seres humanos extintos, portanto, ele é mais uma vez um menino especial, único em todo o mundo. Eles recriam para ele uma simulação de sua antiga casa. A Fada Azul encontra-o lá com base nos registros de sua busca.
Repare que ela tem as asas de uma borboleta – simbólicas da transformação de uma forma grosseira em uma forma ascendida, superior, evoluída. “Obter asas” representa alcançar a divindade, a transformação da lagarta em borboleta. Aqui David é ressuscitado, único, imortal  em sua utopia. David é a “memória permanente da raça humana.”

Os aliens pode ressuscitar Monica usando um pedaço de seu cabelo, mas ela só vai estar viva por um dia. Este Et diz a Davi que eles descobriram que
“o próprio tecido do espaço-tempo apareceu para armazenar informações sobre todos os eventos que já ocorreram no passado.”
O que eles descobrem é o chamado registro Akáshico, ou inconsciente coletivo de Jung, a mente aberta, um grande armazém de dados etéreos no tempo.

Registo Akashic

O registo Akashic é um alegado reino espiritual onde supostamente se armazena um registo de todos os acontecimentos, ações, pensamentos e sentimentos que ocorreram ou ocorrerão em qualquer lugar, em qualquer tempo. É acreditado por ocultistas, como Madame Blavatsky, e Rudolph Steiner ser uma espécie de “luz astral” contendo registos ocultos que apenas seres espirituais como eles podem atingir pelos seus “sentidos astrais” e “corpos astrais”. Clarividência, visão espiritual e profecias são possíveis consultando o Akasha. Tal como com muitas outras noções metafisicas e religiosas não testadas.
Este é o sonho de David que se transforma em realidade, de volta com sua mãe no céu. No entanto, seus papéis são invertidos agora: no início do filme, David foi levado para casa de Monica, Monica agora é trazida para casa de David. Anteriormente, Monica / Isis tentou “ressuscitar” o seu filho, agora o filho está ressuscitando a mãe. Ele a acorda pela manhã, faz o café, conta suas histórias, e a leva para a cama naquela noite.
Suas últimas palavras são: “Eu amo você, David. Eu te amo. Eu sempre te amei.”
O narrador diz: “Esse foi o momento eterno que ele estava esperando.”
David, em seguida, se encontra com sua mãe e fecha os olhos pela primeira vez no filme, como nos é dito pela primeira vez em sua vida, ele foi para o lugar onde os sonhos nascem.
Assim, ele concluiu a fase final do golem / herói  (retorno) com sucesso e ele está em paz.
CONCLUSÃO:
Então, o que você está recebendo enquanto assistia IA é uma dose maciça de psicanálise junguiana em uma sessão de 2  horas. Este tipo de arquétipo (símbolo) Hollywoodiano é uma terapia que baseia-se na idéia de que você, como David no início do filme, tem um distúrbio mental que o mantém ligado a um sistema de crença errônea – a crença em Deus, o cristianismo, e a idéia de se reunir um dia com ele. O propósito de filmes como este é de “curar” você desse transtorno. Esta é a ordem do novo mundo: Deus é removido da posição superior e substituído pelo homem.
Thomas Carlyle fala sobre o poder dos símbolos:
“Em um símbolo temos a ocultação e revelação: aqui, portanto, pelo silêncio e pela fala agindo em conjunto, surge um duplo significado no próprio símbolo, o que podemos chamar de um símbolo, não é sempre, mais ou menos claro e direto, é a encarnação e  revelação do Infinito; Infinito é feito para misturar-se com o Finito, para ficar visível, e como se fosse possível não por símbolos, por conseguinte, o homem é guiado e comandado, se faz feliz, se fez miserável “.
Para ter uma explicação sobre a forma como estes símbolos são impostas no inconsciente dos telespectadores, aguarde o nosso próximo post sobre Hollywood e o Terceiro Mandamento .

Assista ao filme:


Fonte: apocalipse.com

Pesquise no Site por Assunto

AS 10 MAIS DO MÊS