.

14 de abr de 2018

Diabete: A Cura.


O diabetes é um dos cinco males que mais ceifam vidas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde; e um dos mais lucrativos para a indústria farmacêutica (algo em torno de 300 bilhões de dólares por ano; e no mundo todo, essa indústria fatura, pasmem, 1 trilhão de dólares anualmente). Enfermidade que mata lentamente se for menosprezada e não tratada convenientemente, incapacita o organismo de utilizar os alimentos adequadamente.
Mas por que uma pessoa é ou se torna diabética? Há duas explicações que se complementam segundo a medicina gnóstica (ou Elementoterapia), uma científica e outra esotérica:


Cientificamente: O diabetes caracteriza-se pela deficiência de produção e/ou de ação da insulina. Pode ocorrer devido a defeitos na secreção ou na ação da insulina, hormônio produzido no pâncreas, por determinadas células chamadas Beta. A função principal da insulina é promover a entrada de glicose para as células de forma que ela possa ser aproveitada para as diversas atividades celulares.



O diabetes pode ser desencadeado por uma série de fatores, tanto externos quanto internos: vida agitada dos grandes centros urbanos, vida sedentária e falta de exercícios físicos, o estresse, a poluição, alimentação sem qualidade e rica em gorduras e açúcar, além do consumo excessivo de refrigerantes, bebidas alcoólicas e tabaco.
Se não tratado, produzirá, com o decorrer do tempo, problemas graves e até mesmo fatais, como o infarto cardíaco, derrame cerebral (AVC), cegueira, impotência sexual, doenças renais, câncer no pulmão, úlceras nos membros inferiores e amputações de membros.
Esotericamente: Esta doença nasce primeiramente no corpo astral (embora possa ser desencadeada até mesmo no mundo físico por hábitos não saudáveis). O chacra do pâncreas, ligado intimamente aos chacras da barriga (do plexo solar, do fígado e do baço), sofre grande influência não somente pelo que nos alimentamos, mas especialmente por nossas emoções inferiores (dizemos emoções inferiores aquelas nascidas do Ego, que geram energias deletérias, negativas, que infectam e desestabilizam os chacras, especialmente da barriga), tais como raiva reprimida e não compreendida, rancores, revoltas, insatisfações, indignações etc.
Segundo o VM Samael Aun Weor, no livro Medicina Oculta (veja aqui)mais dicas sobre emoções negativas e diabetes: “Quem quiser se curar do horrível diabetes tem de eliminar de si os elementos psíquicos indesejáveis das preocupações, ansiedades, tristeza, medo e angústia. Esses defeitos psicológicos alteram o sistema nervoso. Um sistema nervoso alterado destrói o pâncreas e produz diabetes”. “Cura-se ainda o diabetes eliminando-se a ira, as emoções inferiores, as ansiedades e os atos de violência.”

Como Prevenir e Curar o Diabetes

Há inúmeros procedimentos para que o chacra do pâncreas volte a girar harmoniosamente, fazendo com que sua cor verde-brilhante volte a brilhar, regenerando suas células Beta, produtoras de insulina. Eis alguns procedimentos que o diabético pode praticar:
– Mantra U: esta vogal, “U”, tem o incrível poder de fazer girar todos os vórtices de energia (os chacras) da barriga, particularmente do plexo solar (este chacra localiza-se dois dedos acima do umbigo), do fígado, do baço e do pâncreas. Se o diabético vocalizar diariamente, sem descrença ou preguiça, o chacra do pâncreas girará, atraindo as energias vitais da Natureza (os famosos Tatwas), fazendo com que o corpo etérico converta essas energias em hormônios e vitalidade. Ao menos meia hora de vocalização diária do mantra U trará benefícios maravilhosos. Outra dica: se a mantralização for praticada pela manhã, com a barriga descoberta e recebendo os raios solares, o despertar e a cura se darão mais profundamente.
– Magia Elemental: há determinadas plantas poderosíssimas carregadas de prana, e que, devidamente manipuladas, reequilibram e fortalecem o chacra do pâncreas. Deve-se seguir os procedimentos ensinados no link Magia Elemental para todas as plantas: rogar ao Cristo Interno, pedindo permissão para trabalhar com o elemental, em seguida abençoa-se a planta e ordena-se com muito amor ao seu elemental para que cure o corpo etérico e os chacras do enfermo. Deve-se trabalhar com o elemental de forma constante e disciplinada, até que o alívio e a cura se efetuem. Recomenda-se trabalhar com qualquer planta que se sinta atraído, mas os que recomendamos graças ao seu imenso poder mágico são: Pita, Pinheiro, Gualandai, Eucalipto e Floripôndio.
– Trabalho com os Mestres da Cura: Há inúmeros templos nos Mundos Etérico e Astral que podem ser invocados por meio da oração sincera e de determinadas práticas mágicas, como a famosa Carta Astral. Estes concorrem ao chamado, e de acordo com os méritos do enfermo, a cura se fará o mais rápido possível.
– Uso da Fitoterapia: Há diversos preparados, especialmente como chás, que são poderosos para regenerar as células do pâncreas. Se o chá for abençoado como indicado acima, na prática de magia elemental, seu poder energético será maior. Eis algumas sugestões, tiradas do livro Medicina Oculta, de Samael Aun Weor:
Receita 1: Depois de as plantas serem abençoadas, o que se procede em todos os casos, apanha-se partes iguais de folhas de abacate, folhas de nogueira e folhas de eucalipto. Cozinha-se e o paciente tomará três copos todos os dias antes das refeições. Não será demais advertir que se toma o primeiro copo em jejum.
Receita 2: Outra fórmula: casca de murta, casca de manga e balsamina.
Receita 3: A água-mel extraída do tronco da pita também serve para curar o diabetes. Tomam-se três copos todos os dias; um antes de cada refeição. (Nota do GnosisOnline: quando a pita está bem madura, ou quase para morrer, nasce em seu centro um tronco em que crescem as inflorescências; é desse tronco que sai um líquido que os mexicanos chamam de “aguamiel”, ideal não só para o diabetes, mas para inúmeros males, como bronquite, asma etc.)
Receita 4: Tomar chás de: aipo-da-montanha, sarandi-branco, lágrima-de-nossa-senhora, amoreira-negra, nogueira, agrião, alcachofra, pata-de-vaca.
Receita 5: A planta chamada macela cura o diabetes, bem como os incômodos arrotos, o meteorismo, as indigestões etc. Fervem-se 30 gramas das flores desta planta e toma-se o chá. Dose: 3 copos diários após cada refeição. Toma-se diariamente esse chá até se conseguir a cura.

SUPER-RECEITA GNÓSTICA PARA A CURA DO DIABETES, ensinada pelo VM Samael

Receita 6: “Com os tratamentos de insulina a ciência médica consegue controlar o diabetes. Contudo, esse tratamento não o cura. Nós temos conhecido muitos pacientes diabéticos que lograram curar-se do diabetes com o famoso Chá Antidiabético. A fórmula desse chá é a seguinte:
Folhas de Abacateiro: 30 gramas
Folhas de Eucalipto: 30 gramas
Folhas de Nogueira: 30 gramas
Cozinha-se todo o conjunto em um litro de água.
Doses: três copos diários, um antes de cada refeição. Tome-se durante seis meses seguidos. O tratamento com insulina não se opõe a esse chá inofensivo”.
Receita 7 superimportante:

PODEROSO SUCO ANTIDIABÉTICO

Todos os dias, em jejum e logo após acordar, tome um copo do seguinte suco: melão-de-são-caetano e orégano fresco.
Bata em um liquidificador, juntamente com 300 ml de água, meio melão-de-são-caetano e um pouco (um ramo) de orégano (prefencialmente fresco, mas pode ser seco, pois é mais fácil de ser encontrado). Bata e depois coe o conteúdo, sem adicionar absolutamente nada, nem mel nem adoçante…
Já está comprovado que o ácido rosmarínico, contido no orégano, segundo universidades brasileiras, equilibra potentemente os níveis de glicose no sangue.
E o melão-de-são-caetano, ou cabaço amargo (chamado pela comunidade nipônica de “nigauri” e usado como alimento refogado) é potente para a cura do diabetes, da próstata e de alguns casos de câncer (de acordo com pesquisadores japoneses).
O suco do melão-de-são-caetano tem causado espanto na comunidade científica, graças aos rápidos benefícios nos diabéticos.
nigauri-melao-de-sao-caetano-gnosisonline

Outras Sugestões Importantíssimas

Além dos ensinamentos eficazes entregues pelo VM Samael em suas obras de amor à Humanidade, podemos recomendar a ingestão de produtos que ultimamente têm causado boas impressões à classe médica. Os alimentos funcionais auxiliam os pré-diabéticos ou diabéticos de diversas maneiras.
Aliviam o trabalho do pâncreas, auxiliam a agilizar a eliminação do excesso de açúcares no sangue ou os concentram no fígado para posterior utilização etc. Eis a seguir uma pequena lista dos alimentos preventivos que o diabético precisa usar, sempre que possível:
– Canela (a canela é um tempero termogênico que ajuda o corpo a aumentar sua sensibilidade insulínica (ou seja, diminui a resistência insulínica); portanto, use canela em pó nas refeições e tome chá de canela)-Orégano
– Cúrcuma (combate poderosamente as degenerações neurológicas, como o mal de Alzheimer e demências; deve ser ingerido juntamente com o óleo de coco)
– Cominho
– Manga háden (uma porção por dia)
– Amêndoas
– Batata yacon (de sabor agradável, que lembra a pera, deve ser consumida logo após as refeições, pois também equilibra a glicemia)
– Quinoa e amaranto (combatem a resistência à insulina e o colesterol “ruim”, e são riquíssimos em micronutrientes)
– Gengibre
– Cogumelos (não em conserva, mas in natura, pois são ricos em ergosterol, enzima que “obriga” as células a reagir positivamente à insulina)
– Arroz integral (rico em cromo, que é um oligoelemento benéfico para a absorção da insulina pelas células)
– Alecrim
– Óleo de coco (o mesmo nome para a gordura de coco): esse produto tem causado alvoroço na comunidade científica, graças aos benefícios para a saúde, não somente para os diabéticos. Atualmente, existem à disposição mais de 1,2 mil estudos científicos sobre os benefícios do óleo de coco, especialmente para o diabetes e o mal de Alzheimer)

Outros Oligoelementos (ou Microelementos) Necessários à Cura do Diabetes

Requer-se investigar os alimentos ricos nos seguintes oligoelementos, que, por alguma razão, ou não existem ou existem em quantidade insuficiente nos diabéticos:
COBALTO (um dos compostos da vitamina B12, é também auxiliar no combate à anemia. Exemplos de alimentos ricos em cobalto: carnes vermelhas magras, carne de frango, peixes como o salmão, mariscos, amendoim, ervilha e leite)
MAGNÉSIO (cereais, frutos secos, bananas, chocolate, anchovas em conserva)
VANÁDIO (salsa, gelatina natural, lagostas)
ZINCO (sementes de girassol, castanhas, nozes, amêndoas, ostras, tomates)
CROMO (pães e cereais integrais, mariscos, queijo, chá preto, carnes vermelhas magras)
Mais estudos acerca dos benefícios dos microelementos no combate ao diabetes:
Cromo O fator de tolerância à glicose (GTF) regula a homeostase da glicose orgânica e é dependente de cromo. O GTF melhora a ligação de insulina com os seus receptores, altera o metabolismo lipídico e secundariamente o metabolismo glicídico. Deverá ser realizada a suplementação com cromo em pacientes diabéticos não insulinodependentes. Dosagem: picolinato de cromo: 50 a 400 mcg/dia.
Cobre O cobre é grande gerador de radicais livres, só devendo ser reposto se houver deficiência severa. Apesar da deficiência de cobre estar associada com alteração da tolerância à glicose, em modelos experimentais, a deficiência de cobre não é um problema muito comum no diabetes, mas nos portadores de câncer. Dosagem de cobre quelado: 0,5 a 2,0 mg/dia
Manganês A deficiência de manganês reduz a atividade da insulina. O manganês é necessário para ativação de enzimas-chave para converter a glicose em energia, portanto, sendo essencial para a fosforilação oxidativa. Dosagem do manganês quelado: 10 a 20 mg/dia.
Magnésio O magnésio está envolvido na homeostase da glicose. Os diabéticos com glicosúria e cetoacidose podem ter perdas excessivas de magnésio pela urina. O Mg modula o transporte de glicose através das membranas celulares. É um cofator em várias vias enzimáticas, envolvendo oxidação da glicose. Altas doses de magnésio podem gerar depressão e fraqueza muscular. Dosagem do magnésio quelado: 50 a 500 mg/dia.
Vitamina C Complicações decorrentes do diabetis como: gengivites, envelhecimento cutâneo acelerado, dificuldades de cicatrização, podem ser reduzidos com a vitamina C. Dose recomendada para estes casos: 3,0 gramas/dia. (Para aumentar a regulação da glicemia no diabetes tipo 2, podemos utilizar formulação contendo: cromo + magnésio + vitamina C + germe de trigo.)
Vanádio O vanádio é constituinte da estrutura química da insulina, e mimetiza a ação da insulina nos adipócitos por diminuir a atividade das enzimas envolvidas na gliconeogênese. Dosagem do vanádio quelado: 200 mcg/dia.
Zinco A deficiência de zinco está associada com a redução da secreção da insulina e ao aumento da resistência tissular à insulina. O zinco aumenta a ligação da insulina às membranas dos hepatácitos. O efeito do zinco sobre a secreção de insulina é bifásico; concentrações muito altas ou muito baixas alteram a secreção insulínica. A deficiência severa de zinco pode ocasionar a intolerância à glicose. Dosagem de zinco quelado: 10 a 100 mg/dia. Para combater a deficiência de zinco, deve-se evitar o estresse, pois este, por alguma razão, faz com que o corpo elimine grande quantidade de zinco pela urina.
(Pesquisa e texto: Ali Onaissi, jornalista e diretor do site GnosisOnLine)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe deixe seu comentário:

Últimos Comentários - Sua participação é fundamental.

AS 10 MAIS DO MÊS

...

PESQUISE POR ASSUNTO