Menu 2

.

24 de jun de 2018

O mapa de Tesla.





O Princípio da Grande Espiral Numérica e o mapa de Tesla.


Mapa atribuído a Níkola Tesla, encontrado recentemente numa loja de antiguidades, em Fênix, USA. Foi assim que eu chamei esta mesma espiral, em 1994, quando a desenvolvi pela primeira vez, sem nunca ter conhecido este trabalho de Tesla (nem teria como, pois foi descoberto recentemente), então, tenho alguma familiaridade com ela. A única coisa que fiz diferente foi relacioná-la aos doze signos zodiacais e procurar por relações de qualidade e número. Mas de resto, observei as mesmas coisas, os mesmos grupos de múltiplos e grupos ...


de primos em determinadas áreas de incidência da mesma espiral, que salta a cada doze unidades. Esta espiral é uma forma de organizar espacialmente a série numérica natural em grupos de doze. No modelo de Tesla, os polígonos usados (triângulo, quadrado, hexágono) marcam os múlitplos (2, 3), enquanto as estrelas internas, os grupos de primos (que só aparecem nos grupos numéricos do 1, 3, 7 e 9). Até hoje, não existe uma fórmula matemática que preveja o surgimento dos números primos na série natural. O certo é que, pela sobreposição dos múltiplos, eles decaem em quantidade à medida que a série avança. Essa seria uma grande descoberta, a razão secreta dos números primos, e com certeza, foi isso o que Tesla principalmente buscou no desenvolvimento desta espiral numérica duodenária.
E ela está carregada de valores místicos. Porque o próprio Tesla o era, e mostra sua crença na numerologia, por exemplo, ao afirmar a qualidade sobrenatural dos números 3, 6 e 9, especialmente o 3, ao qual ele atribuia um culto especial. A estrutura do Universo, segundo os antigos cabalistas, se desenvolve no grupo 3, 6, 9 e basta visualizar a Grande Árvore Sefirótica ou Cósmica para compreender donde Tesla tirou essas impressões místicas dos números. Tal Árvore é formada por três grupos planetários, dividida em três triângulos sobrepostos, os andares do universo.
matetes1
Outra nítida informação mistica contida nesta espiral, além do fato de ela se desenrolar em grupos de 12 números (12 é um número altamente místico, é o primeiro a somar 3, o número-chave de Tesla: 1+2 = 3, e representa o ciclo zodiacal, a estrutura do céu), ele fechou o giro da espiral no número 144, o quadrado de 12, além de datar a espiral em 12-12-12, que soma 3-3-3, e que representa os três andares da Árvore Sefirótica apresentada. E além disso, 12+12+12 = 36, potência solar, quadrado de 6, (Sol-Tipheret = Beleza), que é a metade de 72 (36+36), o número-arcano de Deus (72 gênios da Cabala,os 72 discípulos menores de Cristo, o ângulo interno do Pentagrama e a medida áurea, FI=1.618... etc). Além disso, ele colocou no TOPO DA ESPIRAL o grupo dos múltiplos de 12, entre os quais encontramos justamente o 36, o 72 e o 144, no qual fechou o giro...
Lembrando que 144 é um número expressivo do Apocalipse, especialmente nas medidas da Cidade Sagrada de Jerusalém, que é duodenária em sua estrutura: doze portões, doze fundamentos, doze anjos, doze apóstolos, etc. E 144 é chamada a medida do homem que é igual a medida do ANJO: Isto é, o homem-Anjo,espiritual, tem a medida 12-144. Não esquecendo que são 144 mil os selados e eleitos de Cristo, marcados pelo Anjo que traz o Selo do Deus vivo nas suas mãos (Apocalipse 7). A grande imagem da Igreja arrebatada, por exemplo, consta no Apocalipse 12.
Como podemos ver, Tesla era versado nas ciências herméticas...e provavelmente as usava como fonte de inspiração, trabalhando no CANAL DA INSPIRAÇÃO SUPERIOR por meio do qual ancoravam em seus pensamentos as grandes idéias.
Os polígonos também são outra forma de expressar idéias esotéricas. Porque o triângulo é o primeiro polígono (3 lados) a fechar área: depois lhe segue o quadrado, o pentágono, o hexágono... cada polígono representa um planeta, uma força, um conceito cosmológico. O triângulo representa o primeiro núcleo da energia, baseado em polaridades equilibradas (positivo, negativo, neutro). O quadrado é a estabilização destas forças, o que permite a concretização da forma (corpo) e lhe segue o pentagrama, que representa a alma humana a descer na matéria-corpo formada (quadrado) por aquelas três primeiras forças (triângulo), e finalmente entra a estrela macrocósmica, o próprio universo, representado pelo Hexágono como somatório de todos estes elementos, de todos os homens, seres e consciências em Egrégora, fusão, que também nos leva de volta ao doze.
Há também modelos mais sofisticados de interpretação zodiacal e astrológica que asseguram que o SER PURO TEM DOZE PARTES, e cada uma destas partes está representada por um determinado signo, não somente as partes do corpo, como já se conhece (Áries=cabeça, Touro=pescoço, Gêmeos=ombros e pulmões)... até chegar em Peixes=pés.
Mas doze partes da própria alma, do próprio espírito, o que produz relação imediata entre o ser vivente e o zodíaco, entre o homem e o universo, mediante os laços de energia e vibração produzidos pelos planetas e estrelas, sendo esse o alvo de estudo da Astrologia pura e secreta. "O homem só está no universo porque o universo está no homem", e a Astrologia verdadeira é uma ciência que sempre procurou no movimento dos astros a influência sobre todos os seres.
matetes2
E a Última Ceia, de Leonardo da Vinci, é na verdade um grande mapa que mostra as doze partes do Ser associadas a cada um dos doze signos do Zodíaco, e Cristo no centro representando o coração, o centro-Ser donde sairam as doze partes: o feto humano começou a partir do seu coração pulsante. O nosso ZERO original.
matetes3
Cristo na forma de um triângulo evoca as três forças primárias da Criação, bem como a Santíssima Trindade, justificando o culto de Tesla ao sagrado Três. O universo pode ser considerado como sendo a granulação das três forças, dos três princípios. Três se torna, nessa ótica, o número da Criação, porque é a partir do TRÊS QUE O UNIVERSO COMEÇA A SER CRIADO. Porque Zero é a Origem, e UM é a emanação, e a emanação se faz dois, pelo princípio da polarização ou alma das coisas. E é a partir da interação da Dualidade que, no elemento TRÊS de ligação, o Universo passa a ser criado. O FILHO é o TRês da Dualidade Pai-Mãe, por definição, o Verbo, a força criadora. Isso aparece em tudo, no plano das partículas e átomos ao plano das grandes massas cósmicas: é o terceiro elemento da força que produz a sustentação da Criação como um todo...
Ha muito mais aqui. Mas que isso fique como prova de que Tesla e todo gênio típico sempre tem uma ligação com o espiritual, e sempre desenvolve seus potenciais mentais através do estudo e prática das ciências herméticas. Newton foi outro caso, Einstein gostava de ler livros de teosofia, e assim por diante...
matetes4
Fora as qualidades místicas indiscutíveis da Tábua de Tesla, outras generalidades nos permitem vislumbrar a matemática pura nesta espiral. Todo e qualquer número expressa, além de quantidade, uma qualidade que lhe é inerente, e essa verdade é conhecida especialmente na Numerologia entre os números de 0 a 9. Na espiral duodenária, essa qualidade é transferida aos 12 signos do zodíaco.
No Oráculo zodiacal, os números passam a assumir uma posição definida no espaço (a espiral com doze compartimentos) o que estende sua concepção para os domínios da geometria, tornando o estudo numerológico muito mais amplo e interessante. Nosso nascimento mesmo se dá numa espiral de nove meses conforme o ciclo lunar. O ciclo está em tudo, e esta espiral de Tesla apresenta os números no ciclo terrestre ou solar do Zodíaco.
Números são usados na ciência e em tudo para exprimir somente grandezas: 1 Kilograma, 9 segundos, 15 metros, 50 Joules, etc. Porém, a ciência ignora que eles possuam qualidades em si mesmos, independente das grandezas marcadas, e isso foi e é alvo de estudo da Cabala. A qualidade dos números, similar da qualidade das letras, em relações recíprocas de valor. A=1, B=2. C(G)=3, D=4, etc.
O ZERO é a referência absoluta, o centro da espiral, que abre e fecha a curva, o que dá entendimento à expressão dos ciclos, e podemos chamar a espiral de TEMPO-CICLO, computada então na série numeral. O Zero é o centro da espiral, e sua curva se abre ao Infinito (os números são infinitos), e retorna ao zero, porque no Universo, após uma expansão de ciclo, vem uma contração e repouso, ou dissolução, quando o Infinito volta ao zero para recomeçar num novo ciclo. Portanto. Tudo saiu do ZERO e retornará ao ZERO, e se chamarmos o ZERO d BIG BANG, a espiral numérica fará também sentido cosmológico. Um exemplo, o número 31 na escala denária tem três ciclos (10+10+10) acrescido de 1, mas na escala duodenária da espiral, ele tem dois ciclos (12+12=24), acrescido de 7 (24+7 = 31). Essa é a forma de contagem numérica da espiral duodenária.
Nela, os números ímpares são masculinos, e todos os números primos são encontrados nas faixas ímpares da espiral, porque não existem primos pares, por causa da divisão por 2. Tesla buscou relações entre os primos dentro desta espiral, da mesma forma como relações visíveis aparecem entre os múltiplos (2, 3, 4) na organização daqueles polígonos (triângulos, quadrados e hexágonos). As estrelas internas marcam as relações entre os primos e seus setores de distribuição na espiral.
Essa organização permite algumas (ou muitas) propriedades.
Por exemplo, os números da primeira faixa (signo de Áries) sempre somam uma sequência fixa:
1, 13, 25, 37, 49, 61, 73... somam 1, 4, 7, 10(1), 4, 7, 10 (1)...
Os números da segunda faixa (Touro) sempre somam outra série fixa:
2, 14, 26, 38, 50, 62, 74... somam 2, 5, 8, 11(2), 5, 8, 11(2)...
E os números da terceira faixa (Gêmeos) sempre somam outra série, a série apreciada por Tesla:
3, 15, 27, 39, 51, 63, 75... somam 3, 6, 9, 12(3), 6, 9, 12(3)...
E quando fazemos isso para o signo seguinte, Câncer e sua faixa, uma surpresa:
4, 16, 28, 40, 52, 64, 76... somam 4,7,10(1), 4, 7, 10(1)...
Que repete a primeira faixa, Áries, e sua série em outra posição.
O mesmo acontece com o quinto signo (Leão), que repete a série do segundo (Touro), em outra posição:
5, 17, 29, 41, 53, 65..somam 5, 8, 11 (2), 5, 8, 11(2)...
E o mesmo com o sexto signo (Virgem), repetindo a série do terceiro (Gêmeos):
6, 18, 30, 42, 54, 66, 78... somam 6, 9, 12(3), 6, 9, 12 (3)...
O que nos faz deduzir o resto, contemplando a harmonia numérica da espiral em doze grupos, relacionados desta maneira pelos quadrados, ou seja, os signos da mesma cruz possuem em suas somas a mesma série numeral.
Somas das faixas:
(1) Áries: 1-4-7-1-4-7-1-4-7...
(2) Touro: 2-5-8-2-5-8-2-5-8...
(3) Gêmeo: 3-6-9-3-6-9-3-6-9...
(4) Cânce: 4-7-1-4-7-1-4-7-1...
(5) Leão : 5-8-2-5-8-2-5-8-2...
(6) Virge: 6-9-3-6-9-3-6-9-3...
(7) Libra: 7-1-4-7-1-4-7-1-4...
(8) Escor: 8-2-5-8-2-5-8-2-5...
(9) Sagit: 9-3-6-9-3-6-9-3-6...
(10) Capri: 1-4-7-1-4-7-1-4-7...
(11) Aquar: 2-5-8-2-5-8-2-5-8...
(12) Peixe: 3-6-9-3-6-9-3-6-9...
A sequência dos nove números se apresenta nas colunas, de cima para baixo, e esta e outras propriedades devem ter maravilhado o senso estético e místico da mente de Tesla, como maravilharam a minha mente. Se pegarmos os três números de cada série, em separado, e somarmos e depois dividirmos por três:
a. (147+471+714 = 1332, 1332/3 = 444, 4 consta na série)
b. (258+582+825 = 1665, 1665/3 = 555, 5 consta na série)
c. (369+693+936 = 1998, 1998/3 = 666, 6 consta na série)
Ou seja, um reagrupamento numérico que repete os mesmos digitos (4,5 ou 6) que compõem cada uma das séries nas suas somas.
Outra propriedade interessante salta na soma dos números de cada faixa em sua sequência.
1. 1+13= 14, 1+13+25=39, 1+13+25+37 = 76, 1+13+25+37+49 = 125, 1+13+25+37+49+61 = 186,
1+13+25+37+49+61+73 = 259...
A nova série: 1, 14, 39, 76, 125, 186, 259... cria uma segunda espiral dentro da primeira, mais aberta porque salta em outra razão numérica, e a mesma espiral secundária vai aparecer se fizermos os somatórios dos outros signos ou setores do ciclo doze. Porque esta série incidirá nos signos em ordem, Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, e assim por diante, mas saltando em progressão aritmética, um, dois, três, quatro...etc.
Estas e muitas outras propriedades numerais se encontram aí dentro da espiral, que tem na organização doze uma importante chave para decifrar a forma de como os números se estruturam, se articulam, geometrica e quantitativamente, dentro desta específica sequência. Provavelmente a chave magna dos números primos esteja aí dentro, e sua descoberta ainda esteja em aberto. Certamente aquela que Tesla procurou mas não conseguiu encontrar,embora tenha vislumbrado a concepção do Universo-Número decifrado segundo a cosmologia dos números expressando quantidades e qualidades, ou seja, forma e alma.
Porque o homem foi chamado pelos antigos de MICROCOSMO, ou fragmento que traz em si o espelho do Universo Macrocosmo, já que as mesmas leis que regulam estrelas também nos regulam, só mudando a escala: tudo se submete aos mesmos ciclos de tempo e transformações de matéria e energia. Esse é o gancho que a ciência verdadeira utiliza para encontrar a TEORIA DE TUDO e, nela, finalmente, contemplar a Inteligência-DEUS em ação.
E com toda certeza, Tesla estudou o pensamento matemático e cosmológico de Pitágoras, o sábio maior da Grécia e herdeiro direto das ciências de Hermes-Toth.
Essa espiral é fruto de tudo isso.
"TUDO É NÚMERO!
"A EVOLUÇÃO É A LEI DA VIDA, O NÚMERO É A LEI DO UNIVERSO, A UNIDADE É A LEI DE DEUS"
Pitágoras


O Mapa Matemático de Nikola Tesla

matetes6

Parece que décadas depois de ter deixado o planeta, Nikola Tesla continua inovando com suas invenções e criações. Dessa vez o engenheiro, inventor, poliglota, marciano, etc, Nikola Tesla, teria se aventurado na Matemática. Uma suposta descoberta recente de desenhos de Nikola Tesla revelando um mapa de multiplicação que contém todos os números em um sistema simples de se usar foi descoberto. Os desenhos foram descobertos em uma loja de antiguidades em Phoenix, capital do Arizona, por Abe Zucca, segundo o site CBS News.
Acreditam que os desenhos tenham sido criados nos últimos anos do Laboratório de Energia Livre de Tesla, o Wanderclyffe. O manuscrito aparenta ter muitas soluções para perguntas ainda sem respostas sobre matemática. Os esboços estavam escondidos em um baú com vários outros desenhos e manuscritos, desde tecnologias portáteis à sistemas de energia livre. Alguns já são conhecidos do público, enquanto outros ainda não são.
O “Mapa para Multiplicação” ou a “Espiral Matemática”, foi a descoberta mais notável. Dias após a descoberta o matemático, Joey Grether trabalhou duro para decifrar o sistema e obteve êxito. Grether sugere que a Espiral não apenas explora a multiplicação como uma rede entrelaçada, mas também ‘oferece um entendimento visual de como todos os números são auto-organizáveis em 12 posições de componibilidade’.
“Esse dispositivo nos permite ver os números como padrões, a formação de números primeiros, primos gêmeos, multiplicação e divisão, também outros sistemas que eu acredito que ainda serão descobertos”, diz o Professor Joey.
O diagrama é bastante intuitivo, permitindo os estudantes a verem como os números trabalhão juntos baseados em uma espiral com 12 posições. 12 ou múltiplos de 12, é o maior sistema de números altamente compostos, o motivo do qual temos 12 meses em um ano, 12 polegadas na medida de ‘pés’, 24 horas em um dia, e por aí vai.
Tesla é conhecido pela frase: “Se você soubesse da magnificência dos números 3, 6 e 9, então você teria a chave do Universo”. Quando a “Espiral Matemática” é analisada, a soma repetida dos dígitos dos números 3, 6, 9 e 12, se repetem constantemente na mesma sequência, 3, 6, e 9. Seria disso que Tesla estava falando?
É difícil dizer, mas Joey Grether parece acreditar que sim. “Essa avanço é fenomenal. Se conseguíssemos que todos os estudantes do planeta usassem essa técnica, para brincar com ela, e ajudassem a descobrir como usá-la, nós conseguiríamos deixar de lado a aversão cultural que o povo tem em relação à Matemática. Ao invés de memorizar a tabela de multiplicação, poderíamos aprender a posição dos números e ter um entendimento melhor de como eles funcionam.”
Juan Zapata, aluno do Professor Joey disse: “Eu costumava dizer que era ruim em matemática… porque isso é o que todos dizem. Mas agora, eu tô tipo, cara, isso é muito fácil”. Um outro fato curioso sobre a ‘Espiral de Tesla’, é que ela é datada em 12/12/12, 1912. Grether e seus alunos querem que dia 12 seja um feriado nacional em homenagem a um dos maiores cientistas que já existiu na face da Terra. Nikola Tesla. Obs.: Alguns fóruns atribuíram a obra à Joey Grether, o CBS News afirma ter sido de Nikola Tesla.
Fonte: http://tonocosmos.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe deixe seu comentário:

AS 10 MAIS DO MÊS

...

.

PESQUISE POR ASSUNTO