Menu 2

.

5 de jul de 2018

Sexologia gnóstica

Sexologia gnóstica 
Para o casal iniciante 

Como todos sabemos, o sexo desempenha um papel muito importante na vida. A arte, a religião, as festas, o teatro, as reuniões políticas, tudo gira em torno do sexo, de uma forma ou de outra. Qualquer diálogo entre mulher e homem é, essencialmente, de caráter sexual. Um sexomaníaco, por exemplo, é escravo do sexo, enquanto um alquimista domina e comanda as suas funções sexuais com muita habilidade.

Todos nascemos pelo sexo, pelo útero criador. Todavia, nos dias de hoje, nesta época tenebrosa, o sexo é malvisto e considerado uma atividade inferior, animalesca e unicamente lúdica.
Nas culturas antigas, o sexo era considerado como a chave da vida e os próprios monumentos assim o indicam. Essas civilizações conheciam profundamente os Mistérios da Transmutação, ou, em outras palavras, a Alquimia Sexual. Na Grécia, na sala de Mistérios e de Ofícios, Vênus e Cupido eram exclusivamente vistos como símbolos da Sexualidade Transcendental.

No Egito, as câmaras secretas dos faraós eram lugares sagrados, onde se praticava a Alquimia. As tradições assírias, babilônicas, fenícias, caldeias, astecas, maias, incas, olmecas etc. estavam fundamentadas num puro e sagrado ensinamento tântrico sexual. Ou seja, seus grandes líderes espirituais podiam ser considerados como grandes sexólogos.
Todos os rituais do Fogo, as danças sagradas do Fogo, relacionavam-se com o aspecto da integração masculino-feminino, para se gerar uma terceira força. As danças dos dervixes, as invocações ao deus asteca das águas Tlaloc, eram sempre relacionados com os aspectos da Criação. Seria muito importante relembrar o que nesses cultos se ensinava, o de que nós nascemos fisicamente do útero e podemos nascer também espiritualmente pelo útero. Infelizmente, na atualidade, em vez de respeitar esses Mistérios, nós os profanamos.
As grandes óperas, como o Parsifal de Richard Wagner, a Flauta Mágica de Mozart, a ópera Fidelio de Beethoven, e muitas outras obras artísticas estão ligadas aos ensinamentos sexuais tântricos. As catedrais góticas nos convidam a refletir sobre isso.
O sexo deve ser visto não somente como força mantenedora da espécie humana, mas como algo muito mais transcendental.
Quem ofende a face divina do sexo? Primeiramente, quem abusa da energia sexual de uma forma ou de outra. Os que praticam sexo com inúmeros parceiros ao longo da vida, os masturbadores, os adúlteros, os fornicários em geral. Também abusam do sexo os que tentam escapar do sexo, transformando-se em celibatários, como muitos pseudo-sacerdotes, anacoretas, ermitões, enfim, os sexofóbicos, que pensam equivocadamente que o sexo é algo inferior, negativo e antiespiritual.
Havia algumas seitas fanáticas no Oriente em que seus adeptos eram enclausurados, e no afã de se purificar, de se “santificar”, deixando de pensar no sexo, eles eram sumariamente castrados, acreditando-se, com isso, que eles se aproximariam de Deus. Porém, o resultado é exatamente o oposto, ou seja, em vez de entrarem em contato com forças divinas, do Alto, afastavam-se delas. Esse processo termina tornando-os verdadeiros adeptos da “mão esquerda” e vítimas de forças abismais.
Seguidores do apóstolo Pedro degeneraram-se a tal ponto que, atualmente, segregam homem e mulheres em todas as instâncias hierárquicas da Igreja. Os inúmeros mosteiros da atualidade, somente conseguem prejudicar o desenvolvimento do ser humano.
Por outro lado, encontramos pessoas que se entregam ao sexo desenfreadamente, pessoas degeneradas que são vítimas do sexo. Todos os seus pensamentos e diálogos se relacionam com o sexo. A tendência desses indivíduos, no decorrer do tempo, é a morte prematura. Essas pessoas também podem cair no homossexualismo com o passar das encarnações, pois o sexo normal já não os satisfaz.
Além dessas opções – a repressão e o extravasamento, que são as duas faces de uma mesma moeda, ou seja, a Infrassexualidade –, a sabedoria gnóstica vê uma terceira, que leva o ser humano (tanto o homem quanto a mulher) a aproveitar do poder mágico do sexo para a sua própria regeneração. É nesta terceira via que o estudante esoterista deve trilhar.
A terceira via do sexo, que a Gnose preconiza, resume-se na sábia e equilibrada condução da ens seminis, ou entidade do sêmen, aproveitando as suas energias para chegar a estados superiores de Consciência. Apesar de a Humanidade se encontrar degenerada em uns 97%, ela tem ainda uma imensa capacidade de regeneração, desde que seus órgãos criadores não estejam afetados, maculados (seja por acidentes, enfermidades ou cirurgias).
Todavia, a Humanidade poderia se regenerar à medida que encontrasse as Chaves da autossuperação física e psicológica, nos Mistérios do Fogo Sagrado.
Infelizmente, a maioria das pessoas cre piamente que se “salvará” sendo bons pais, pagando os estudos de seus filhos, pagando impostos ou ajudando aos pobres e necessitados, enfim, cumprindo com suas obrigações familiares e sociais. Por ignorância do conhecimento iniciático, aceitam qualquer coisa, menos que o sexo possa servir de arma para a autorrealização espiritual. Não sabem e não querem saber que o sexo é a chave da vida e da morte, não somente da vida material, mas do próprio espírito interno.
Há pessoas que mal chegaram à idade de 40 anos e já se parecem com anciões, vítimas do mau uso do sexo ao longo de sua vida. Possuem debilidades nos cinco sentidos, seus órgãos internos falham, sua mente é débil, sua memória idem. No entanto, há anciães que já ultrapassaram os 70 anos e que carregam grande capacidade juvenil de percepção e captação das verdades da vida. A que se deve isso? Pois ao conhecimento e à prática da Transmutação Sexual. Em resumo, ao não derramamento das energias sexuais.
Quanto maior a quantidade de energias transmutadas, maior condição para a eliminação dos agregados psicológicos e de fortalecer os neurônios o praticante gnóstico terá.
Para a Transmutação, necessitam-se:
– corpo são
– mente equilibrada
– consciência pura.

Isso que na Gnose se chama Sexo Transcendental fundamenta-se no que os antigos magos chamavam de “o segredo dos segredos”, ou o “grande mistério maçônico”, conhecido nos tempos modernos como Arcano AZF. Essas técnicas permitem fabricar a Alma do ser humano, que pensa tê-la, porém não a possui, somente tem uma fagulha, um resquício de Alma em seu interior. Essa fagulha eventualmente se manifesta como um remorso de consciência, um pouco de misericórdia, empatia, amor, fraternidade, compaixão etc. para com o meio ambiente e com o próximo.
O Arcano AZF é uma série de técnicas que permitem ao Iniciado gnóstico acumular uma tal quantidade de Fogo Interior, ou de energia psíquica, chamada pelos alquimistas medievais de “ouro alquímico”. Lembremo-nos de uma das máximas alquímicas que reza “transmutar o chumbo em ouro”. Esse chumbo da filosofia alquímica são nossas energias psíquicas, emocionais e mentais não trabalhadas, mal canalizadas e perdidas torpemente, de forma egóica e instintiva (ou seja, não consciente).
A finalidade da Transmutação Sexual por meio do Arcano AZF é precisamente desenvolver uma energia superior que possa trazer uma alta vibração dentro do organismo psicofísico e também para a eliminação de nossos inúmeros estados psicológicos subjetivos.
O Arcano AZF, trabalhado positivamente, produz dois efeitos no praticante: primeiro, a transmutação sexual e consequentemente a criação dos chamados “corpos solares”, e segundo, o despertar da força mágica que no Oriente foi batizada com o nome de Kundalini.
O sexo deve ser puro e natural e o casal heterossexual deve dominar as diversas funções sexuais de seu corpo e sua mente. O casal alquimista precisa controlar seus esfíncteres, que controlam a saída (ou não) do ens seminis. Para isso é necessário utilizar-se a imaginação e a força de vontade, para que o corpo nem sequer chegue perto do orgasmo e da ejaculação seminal. Nunca!
A prática da Transmutação Sexual deve sempre ser feita com amor e respeito mútuos, sem violar a Natureza, ou seja, esta prática de suprassexualidade não pode ou deve ser efetuada quando um dos parceiros não estiver saudável, equilibrado. Se do casal um não estiver bem disposto, ou se estiver enfermo, ou se a mulher estiver grávida ou menstruada, e mesmo assim pratica-se sexo, então há grande violência contra a Mãe Natureza…

O Método Diana ou Carezza

Para o casal iniciante, que deseja aprender o bê-á-bá do Arcano AZF, recomenda-se uma prática, por uns chamada de Método Diana e por outros de Método Carezza (Carícia, em italiano). Ou seja, o contato físico amoroso e cheio de carícias, beijos, toques, massagens, pranayamas e mantras em conjunto etc., porém sem chegarem à penetração sexual propriamente. Esse trabalho com o Método Diana deve ser realizado em base a um acordo mútuo entre a esposa e o marido, contemplando-se, repito, mutuamente com abundantes beijos, carícias, abraços, exercícios esotéricos diversos, sem violências e autoritarismos na prática.
Iniciando nos Mistérios Sexuais dessa forma, o casal gnóstico começa a acumular inúmeras forças mágicas em sua aura e também diversas virtudes que lhes serão muito úteis e importantes ao longo das práticas alquímicas, como, por exemplo, a paciência, o conhecimento das potencialidades e limitações mútuas, além é claro do autoconhecimento (físico e psíquico).
E com o passar do tempo, e gradativamente, conforme o casal vai se aperfeiçoando e conhecendo suas particularidades nas técnicas da suprassexualidade (ou seja, na não perda do “licor” sexual), os dois vão se transformando em um autêntico casal de Alquimistas, em seu sentido mais amplo.
Se o casal gnóstico iniciante seguir à risca o Método Diana/Carezza, estará realizando o que os gnósticos primitivos chamavam de “cumprir com os Mistérios de São Pedro e São João”.
Os Mistérios de São Pedro são as técnicas psicofísicas capazes de manipular as energias sexuais para que estas sejam transmutadas em energias altamente refinadas. Já os Mistérios de São João referem-se, entre outros, ao uso de mantras muito especiais que permitem um fluxo maior e mais profundo dessas energias sexuais por canais específicos que se encontram na constituição psíquica do casal gnóstico.
Essas mantralizações, ou vocalizações, devem ser acompanhadas de “imaginação dirigida e consciente” para que produzam bons resultados. Há certos mantras que, ao serem vocalizados juntamente com a imaginação dirigida e força de vontade, fazem as energias criadoras sexuais ascenderem mais rapidamente, criando prodígios espirituais maravilhosos.

Alguns dos mantras recomendados aos gnósticos

– IAO (vocalizar essas letras juntas ou separadas a cada respiração)
– Yam… Dram… Hum… (cada sílaba numa respiração; e deve-se prolongar a letra M, assim: Yaaammmmmmmmm… Draaammmmmmmmm… Huuummmmmmmmm…
– Krim (deve-se prolongar as letras R e M: Krrrrrrrrriiimmmmmmmmm…)
– DIS… DAS… DOS… (é o famoso mantra dos querubins)
– INRI (pode-se trocar as letras I por outras vogais)
– O… AO… KAKOF… NA… KHONSA…
– HAM… SAH… (o Ham deve ser mentalizado enquanto se respira lentamente e se “pensa” nessa sílaba; já o SAH deve ser verbalizado rapidamente)
– ARIO (Aaaaaarrrrrrrrriiiiiiiiiooooooooo). Este é um dos mantras mais poderosos entregues para a transmutação sexual. Com a letra A o Fogo Criador é ativado no Centro Sexual; com o R, o Fogo sobe pela coluna vertebral; com I essa energia fixa-se no cérebro e finalmente com a vogal O uma parte da Energia Criadora vai até o coração.

Outra orientação ao casal gnóstico iniciante é que se deve começar tanto o Método Diana/Carezza quanto o Arcano AZF propriamente (ou seja, a união sexual sem ejaculação/orgasmo) num estado de tranquilidade, autocontrole, harmonia, mas sem perder o “entusiasmo mágico”. Traduza-se esse entusiasmo mágico como não perder a excitação sexual, pois o casal gnóstico deve recordar que o que a Gnose ensina é a eliminação da luxúria, não do erotismo ou da excitação natural.
Quando o casal se sentir mais confiante, com mais autocontrole sobre seu corpo e sua psique, a conexão pode ser feita após as carícias entre os dois. Em seguida, conforme as condições e o tempo normal de conexão, os dois, ao mesmo tempo, poderão vocalizar um ou mais mantras sagrados, como os acima citados. Isso até que o casal pressinta uma superexcitação, que indica a proximidade do orgasmo fisiológico. Então, ambos se afastam e, continuam a mantralização, deitados um ao lado do outro, até que sintam que as energias sexuais foram transmutadas.

Os 3 Exercícios Auxiliares da Magia Sexual

Os três canais principais por onde ascendem as energias sexuais transmutadas estão representadas pelo Caduceu de Mercúrio. Eles são de natureza energética (etérica, astral, mental, causal) e conectam os testículos/ovários ao cérebro e ao coração. Para as práticas de Magia Sexual serem cada vez mais bem-sucedidas, requer-se que tais canais estejam fortalecidos, curados e regenerados, e isso pode ser conseguido praticando-se diariamente três exercícios muito simples, mas ao mesmo tempo extremamente eficazes: o Pranayama Egípcio, os mantras Ham-Sah e Torn.
Se o estudante gnóstico realiza tais exercícios, sendo solteiro ou casado, ele se beneficiará em demasia quando sentir que deve iniciar seriamente o rito sagrado da Magia Sexual. Essas práticas devem ser feitas tanto pelos solteiros quanto pelos já casados que recém-conheceram a Alquimia Sexual.
Podemos enumerar alguns dos muitos benefícios dos três exercícios esotéricos acima descritos: equilíbrio do sistema nervoso, controle da ansiedade, controle da ejaculação precoce, equilíbrio da excitação sexual (nem muito nem pouco), equilíbrio dos sete chakras principais, canalização da energia criadora para abastecer e curar os Centros Psíquicos, maior fluidez do Fogo Sagrado entre o casal (troca harmoniosa de fluidos energéticos pelos chakras entre o casal, especialmente pelos chakras laríngeo e sexual), regeneração mais rápida e dinâmica do sistema endócrino, maior controle e equilíbrio dos pensamentos etc.
Explicação sobre o mantra TORN: esse mantra sagrado faz parte dos estudos de Magia Rúnica, ensinados pelos mestres Huiracotcha e Samael Aun Weor.
Você pode praticar conforme é ensinado na Runa Os (ou Olin) ou simplesmente sentado na cadeira, ou ainda deitado na cama, e depois de respirar profundamente, vocalize diversas vezes esse mantra, prolongando cada uma de suas letras, assim: tooooooorrrrrrrnnnnnnn… Pode-se usar a Imaginação dirigida, mentalizando que a coluna vertebral é um tubo de luz branca… Se o mantra for praticado pelo casal, uma das sugestões é que podem sentar-se em posição de lótus, um encostado no outro (costa a costa) e os dois vocalizando ao mesmo tempo o mantra (assim, o casal se imantará cada vez mais, afinando suas energias, emoções e pensamentos para a prática da Magia Sexual em seguida).
Uma observação final em relação ao mantra Torn refere-se à prática da magia sexual em si. Se acaso o praticante alquímico sentir que a ejeculação/o orgasmo estão próximos, devem se retirar do ato e imediatamente deitar-se e vocalizar ininterruptamente esse mantra, até que a sensação de “queda” suma. Então, a partir daí, o casal não deve voltar a praticar Alquimia até o dia seguinte, mas somente o Pranayama Egípcio e o mantra Ham-Sah.

Efeitos corriqueiros nos casais iniciantes

Devemos lembrar que passamos dezenas e dezenas de encarnações (ou retornos) perdendo nossa energia sexual. Portanto, que ninguém pense que será fácil recanalizar essa energia “para dentro e para cima”. Isso leva tempo, a memória celular deve ser readaptada, e isso precisa de muita paciência e compreensão do casal.
Comumente, por falta de experiência na canalização da energia sexual, o casal – especialmente o homem – costuma ter perdas inconscientes do licor seminal. As chamadas “poluções noturnas” e as espermatorreias (emissão involuntária de sêmen ao longo do dia) têm algumas causas, entre as quais:
– a própria inconsciência
– não saber transmutar corretamente no início, permitindo que as “gônadas” se sobrecarreguem
– problemas renais ou do aparelho geniturinário (inflamação na próstata, problemas no útero-ovários, problemas nos rins, corrimentos etc.)
– eus luxuriosos diversos que ao longo do dia se manifestam (eu “mirador”, eus de fantasias mentais, maus hábitos perniciosos como ver imagens pornográficas na internet etc.)
– influências de entidades astrais negativas (que podem ser afastadas por meio das práticas gnósticas de proteção psíquica)
– descuidos do corpo físico, como alimentar-se excessivamente altas horas da noite, ingerir comidas picantes e/ou carne suína, bebidas alcoólicas destiladas, alimentos de natureza Yin; também o uso de medicamentos que afetem o sono, o sistema nervoso, o sistema cardiovascular etc.
– desconhecimento dos “choques energéticos” que ocorrem no corpo físico no final da madrugada (às 4 a 5 horas). Etc.
– consequências do acúmulo de energias negativas adquiridas por nossos hábitos sexuais (as chamadas energias venenoosquirianas). Essas energias acumulam-se em nossas baterias psíquicas, ou Centros, especialmente nos centros instintivo e sexual.

Fonte:
Ali Onaissi (Jornalista e escritor, 
coordenador do portal Gnosisonline. Contato: gnosisonline@gmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe deixe seu comentário:

AS 10 MAIS DO MÊS

PESQUISE POR ASSUNTO